6 dicas de como sair das dívidas e começar a investir

Para muitos brasileiros, o título deste post é considerado uma ilusão. Aprender como sair das dívidas e passar de endividado a investidor? Muita gente vai dizer que isso é impossível. Entretanto, na verdade (e felizmente), não é tão difícil mudar a sua condição financeira.

É claro que esse processo requer uma boa dose de esforço, organização e disciplina, mas, sem dúvidas, vale a pena fazer tudo isso. Independentemente do motivo que levou você às dívidas, o primeiro passo é encarar a situação e decidir resolvê-la. Ficar fugindo dos problemas — e achar que eles não têm solução — só atrapalha.

Quer saber como se livrar dos prejuízos e se tornar um investidor? Coloque em prática as nossas dicas e melhore a sua relação com o dinheiro!

1. Organize suas finanças

Esse passo é bastante doloroso, mas não dá para sair das dívidas sem ele. A primeira atitude precisa ser entender sua situação real. Muitas pessoas que vivenciam um descontrole financeiro preferem evitar o sofrimento e, assim, não acompanham a bola de neve aumentando.

Pode parecer uma decisão confortável no começo, mas isso só vai deixar você mais distante da solução. Para saber como sair das dívidas, é preciso enfrentar o problema. E o passo inicial é registrar todas as suas contas e fontes de renda. Por isso, coloque no papel a situação do seu endividamento e faça um planejamento financeiro.

É possível usar planilhas no computador ou aplicativos no celular. Registre a dívida inicial, os juros que estão rodando e as parcelas (caso você já tenha feito uma negociação). Anote também suas outras contas mensais, de modo que dê para saber exatamente para onde o seu dinheiro está indo no final do mês.

2. Negocie as dívidas

Se você ainda não fez isso, entre em contato com os seus credores e conheça as condições para pagar suas dívidas. Avalie aspectos como o tempo de pagamento, o número e o valor das parcelas, além da taxa de juros.

É necessário se comprometer com valores que consiga pagar tranquilamente, sem tirar o dinheiro do sustento mensal ou entrar em novas dívidas. Se você está devendo mais de uma pessoa ou empresa, calcule todas as parcelas juntas para saber quais são as suas possibilidades reais de pagamento.

Dependendo do caso, a melhor opção é contrair uma dívida mais barata para pagar a primeira. Quem está arcando com os juros do cheque especial, por exemplo, pode pedir um empréstimo no banco e pagar taxas menores. Da mesma forma, quem se desorganizou por causa de um financiamento pode fazer a portabilidade para uma financeira que cobre mais barato.

3. Corte gastos

O próximo passo é economizar. Está lembrado da planilha que você fez registrando todos os seus custos mensais e dívidas? Nesse passo, você vai retomar as anotações. Ao analisar tudo o que você paga fica mais fácil estabelecer metas e saber o que pode ser cortado ou minimizado.

Os gastos com alimentação fora de casa, por exemplo, podem ser evitados se você passar a levar marmita para o trabalho. As mensalidades do plano de celular ou internet podem ser reduzidas se você ligar para as empresas e negociar. Essa é uma maneira de aprender como sair das dívidas.

Mas é preciso ter cuidado para não fazer cortes excessivos. É normal que pessoas endividadas tentem cortar todos os gastos supérfluos, porém, alguns são necessários para manter sua qualidade de vida. Em vez de evitar todas as saídas com os amigos, por exemplo, você pode propor programas mais baratos ou gratuitos.

4. Busque rendas extras

Se a situação financeira está muito desconfortável e você não consegue encontrar mais formas de economizar, o problema pode estar na renda. Dependendo do tamanho das dívidas, fica muito difícil melhorar a situação e ainda manter o orçamento familiar com o salário atual. Assim, pode ser necessário buscar novas fontes.

Nesse momento, a criatividade é muito útil. Analise sua rotina e veja o que pode ser incluído para que você ganhe mais dinheiro — como fazer serviços autônomos na sua área de formação, dar aulas de reforço, vender algum produto para os colegas de trabalho, comercializar comida etc. A renda extra vai ajudar muito a quitar as parcelas mais rapidamente.

5. Monte uma reserva de emergência

Muitas dívidas começam em situações emergenciais. Por exemplo, uma manutenção mais cara do carro, gastos imprevistos com saúde ou alguns meses de desemprego. É por isso que uma das principais dicas de organização financeira é ter uma poupança que ofereça suporte nesses momentos.

Assim, você evita pedir empréstimos ou entrar no rotativo do cartão de crédito. Essa reserva de emergência deve ser montada o quanto antes — é possível iniciá-la enquanto ainda paga as dívidas. Qualquer montante de dinheiro, por menor que seja, já vai fazer diferença se for juntado todos os meses.

Se for viável reservar, por exemplo, R$30 ou R$50 por mês depois de pagar as contas e as parcelas das dívidas, faça isso. Cortando uma saída com os amigos ou algum outro gasto é possível investir em mais segurança para o seu futuro.

6. Separe um valor para investimentos

Depois que você negociar as suas dívidas e começar sua reserva de emergência, estará pronto para planejar o futuro. Uma parte do salário deve ser reservada para planos de médio e longo prazo, como viagens e aquisição de bens ou segurança financeira e conforto na aposentadoria.

Para quem tem dificuldade com disciplina, uma ótima opção de investimento é o consórcio. Ao contratar um, você pagará uma mensalidade — na prática, estará sendo obrigado a guardar dinheiro. Como essa reserva não ficará acessível, o valor estará protegido contra seus desejos de consumo.

O consórcio é um investimento de baixo risco. Além disso, você pode procurar uma parcela que caiba no seu bolso sem grandes sacrifícios. Essa modalidade é voltada para quem pretende adquirir patrimônio (como um carro ou uma casa). No entanto, aqueles que não quiserem fazer uma compra também podem receber sua carta em dinheiro ao final dos pagamentos.

Viu que não é impossível aprender como sair das dívidas e ainda virar um investidor? Deixe de pensar que essa é uma atitude para quem tem muito dinheiro! Você pode investir com um pouco a cada mês. Reavalie sua situação financeira com as nossas dicas e desfrute de uma vida mais segura.

E então, está empolgado para conquistar mais saúde para suas finanças? Continue no blog e aprenda a investir com pouco dinheiro!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *