6 dicas práticas para fazer um controle de pneus eficiente

Imagina só ter que cancelar aquela viagem tão esperada porque o pneu do seu carro está furado? Ou pior, correr o risco de sofrer algum acidente devido às más condições desse item? Fazer o controle de pneus é zelar pela sua segurança, por seus planos e também pelo seu bolso. Afinal, qualquer descuido pode trazer diversas consequências negativas e gerar mais custos de reparo.

Se você ainda não supervisiona os pneus do seu carro com frequência, continue lendo este artigo e descubra por que essa tarefa é tão importante e como colocá-la em prática!

O que é o controle de pneus?

O controle de pneus consiste em inspecioná-los constantemente e tomar as providências necessárias para que o estado de conservação dos pneus permaneça apropriado para o uso.

De modo geral, o desgaste dessas peças varia de acordo com o modelo do automóvel, sua utilização e os cuidados com sua manutenção. Quando seus sulcos atingem a profundidade indicada no Código de Trânsito Brasileiro ou surgem defeitos e deformidades em sua estrutura, os pneus devem ser trocados imediatamente.

Sendo assim, o grande objetivo desse gerenciamento é reduzir a necessidade de substituições (que geram gastos) e garantir as condições para que os veículos rodem por mais tempo sem comprometer a qualidade.

Qual é sua importância desse hábito?

Um bom pneu não custa menos de R$150, ou seja, não é um componente muito barato. Por esse motivo, muitas pessoas tentam utilizá-los durante o maior tempo possível, a fim de economizar dinheiro.

No entanto, vale lembrar que apenas prorrogar sua substituição pode acarretar graves problemas, arriscando a vida do condutor e dos passageiros. É preciso ter a responsabilidade de inspecionar e cuidar desse item ao longo do tempo. Conforme apontam estudos recentes, quando bem cuidado, o pneu pode ter sua vida útil prolongada entre 20% a 25%.

Além disso, manter a calibragem ideal dos pneus reduz consideravelmente os gastos com combustível. Rodar com eles murchos intensifica o atrito com o solo, fator que aumenta o consumo. Sem contar que a vigilância constante minimiza a necessidade de manutenção corretiva, que costuma ser bem mais onerosa que a manutenção preventiva.

E não para por aí: 20% dos acidentes em rodovias ocorrem devido às negligências no cuidado com os pneus. Especialmente na malha rodoviária brasileira, cujo mau estado de conservação favorece a aquaplanagem e gera grande desgaste nesses componentes.

Resumindo, com um bom controle de pneus você consegue estender a vida útil das peças, escapar de imprevistos, evitar gastos desnecessários, preservar a sua integridade física e a da sua família.

Essa é uma prática indispensável para qualquer proprietário e condutor consciente.

Como fazer um controle de pneus eficiente?

Controlar os pneus não é somente observar quando eles estão “carecas” e trocá-los por novos. Aliás, a finalidade do gerenciamento é justamente adiar ao máximo essa necessidade, por meio do acompanhamento de todo o ciclo de vida das peças e da realização de reparos, quando for preciso.

Posto isso, separamos 6 dicas valiosas para quem deseja manter seus pneus em um bom estado e aumentar a sua durabilidade. Confira!

1. Dirija com cautela

Como já foi mencionado, as rodovias nacionais estão mal conservadas. Ruas esburacadas e irregulares danificam bastante os pneus, ocasionando furos e cortes nas bandas de rodagem. Por isso, é indicado adotar uma postura cautelosa e exercer a direção defensiva.

Freadas bruscas e acelerações desnecessárias são manobras arriscadas que geram desgaste nas rodas e ainda maximizam o consumo de combustível. Então, procure manter uma velocidade constante e aumentar as rotações gradualmente.

2. Verifique o desgaste a cada revisão

As revisões são essenciais para o bom funcionamento do carro como um todo. Se você busca tranquilidade na direção, aposte na revisão sempre que for fazer viagens longas, quando detectar algum problema ou estiver próximo da data indicada pelo fabricante.

E durante esse procedimento periódico, lembre-se dos pneus. Verifique o padrão de desgaste em cada um deles para descobrir se estão calibrados corretamente ou se devem ir para o alinhamento. Para saber se é hora de trocar, meça a profundidade dos sulcos, por meio do TWI (Tread Wear Indicator).

3. Invista em marcas de qualidade

Os preços dos pneus de segunda linha e dos remanufaturados são mais baixos e, consequentemente, mais atraentes. Porém, eles não são tão interessantes considerando o longo prazo.

Além de uma vida útil menor, itens desse tipo não trazem tanta segurança e podem dificultar processos como o balanceamento. Isto é, mesmo que você tenha que desembolsar uma quantia mais elevada, a melhor opção é investir em um pneu de alta qualidade, com procedência confiável e certificado pelo INMETRO.

4. Faça o rodízio periodicamente

Com o passar do tempo, alguns pneus sofrem maior desgaste dependendo de seu posicionamento. Os dianteiros, por exemplo, costumam ser mais prejudicados graças à predominância da tração dianteira e ao maior peso desse eixo.

Diante disso, é fundamental criar o hábito de revezar as rodas periodicamente. O rodízio tem a função de equilibrar esse desgaste do jogo de pneus, assegurando um maior rendimento.

5. Monitore a quilometragem

Cada marca tem a sua própria política no que diz respeito à troca do jogo de pneus. A vida útil é informada no manual do veículo, o qual indica a quilometragem máxima que eles podem rodar. Ou seja, o valor não é uma garantia, e sim uma previsão.

A durabilidade média encontrada no mercado fica entre 25 mil km e 72 mil km. Mesmo variando de acordo com a utilização, esse número é um bom parâmetro para o controle de pneus. Observe o prazo indicado pelo fabricante e acompanhe os quilômetros rodados pelo seu automóvel.

6. Realize a inspeção antes de cada viagem

Antes de viajar, sempre examine a calibragem dos pneus. Siga a indicação do fabricante e não se esqueça do estepe. Recomenda-se, ainda, uma análise para certificar de que não há nenhum objeto perfurante enterrado na banda de rolagem, como cacos ou pregos.

Outro ponto que merece atenção a cada viagem é a quantidade de bagagem. Evite transportar um excesso de carga, pois seu peso sobrecarrega não só os pneus, mas muitos outros componentes do carro (como os freios e o chassi).

Uma das maiores preocupações do proprietário de um automóvel é prevenir acidentes, economizar recursos e reduzir o desgaste das peças automotivas. Para que isso seja possível, é necessário supervisionar constantemente os pneus do seu veículo. Portanto, esperamos que nossas dicas tenham te ajudado a entender como realizar um controle de pneus bem-sucedido!

Você ainda tem alguma dúvida sobre o controle de pneus? Ou alguma outra dica para tornar esse processo ainda mais eficiente? Então, aproveite o espaço abaixo e deixe seu comentário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *