Acabou de casar? Veja 6 dicas para se estabilizar financeiramente!

O começo de uma vida a dois é um momento recheado de planos, expectativas e sonhos. E, para concretizar a maioria deles, é indispensável manter as finanças do casal bem organizadas e equilibradas.

Existem alguns cuidados fundamentais para manter não só a estabilidade financeira, mas também a emocional, evitando conflitos e desentendimentos entre os cônjuges. Continue lendo e descubra 6 dicas valiosas de finanças para recém-casados!

1. Priorize a quitação das dívidas

É comum contrair algumas dívidas antes do casamento. Cerimônia, festa e viagem de lua de mel são somente alguns exemplos de despesas que podem ser geradas durante a realização desse grande sonho e que costumam deixar parcelas remanescentes.

Todavia, nada melhor do que dar início a uma nova etapa sem quaisquer pendências. Portanto, é altamente recomendado que a prioridade inicial do casal seja quitar todas as dívidas adquiridas. Verifiquem, com precisão, qual valor ainda estão devendo e vá liquidando de modo que não prejudique o pagamento das contas próprias do ambiente doméstico, como luz, água ou internet.

Ter esse objetivo principal em mente é uma forma de economizar, evitando gastos secundários e estimulando o direcionamento dos recursos para onde eles são, de fato, necessários.

2. Calcule o orçamento familiar

Realizar esse cálculo é essencial para entender quais são as receitas e as despesas do novo lar, o que ainda facilita a divisão de gastos entre o casal. Para isso, a primeira etapa é considerar a renda líquida de cada um.

Logo depois, vocês devem avaliar os gastos mensais, tanto individuais quanto domésticos. Afinal, se um dos dois não abre mão de almoçar fora com o pessoal do trabalho todos os dias ou de comprar uma nova peça de roupa a cada semana, isso afetará no orçamento final.

Por fim, é hora de dividir as despesas. Nem sempre o pagamento meio a meio é a alternativa mais justa. Afinal, é bem provável que os dois não possuam o mesmo salário. Então, é indicado criar uma divisão proporcional à renda.

Por exemplo, é determinado que cada um vai direcionar 70% de seu salário ao lar. Mesmo que esse percentual represente R$5.000 reais de contribuição de um, enquanto corresponde a R$800 do outro, esse acordo está correto.

3. Realize um planejamento financeiro mensal

Recomenda-se que o planejamento financeiro seja renovado a cada mês, pois, além dos custos fixos, calculados na etapa anterior, é imprescindível considerar os custos variáveis também.

Algumas despesas (ou até mesmo receitas) imprevisíveis podem ter grande impacto no orçamento daquele mês, tornando necessária alguma mudança no planejamento.

Por exemplo, após um problema de saúde inesperado, um dos cônjuges teve de realizar uma série de exames médicos, que acrescentaram R$600 à despesa mensal. Diante disso, a viagem planejada para o mês seguinte deverá ser adiada.

Sendo assim, reúnam-se todo final de mês para registrar todo o dinheiro que entrou e que saiu. A partir dessas informações, vocês poderão estipular alguns valores para o novo mês. Essa prática ainda é interessante para fazer comparações e avaliar o que está dando certo e o que pode ser aperfeiçoado no futuro.

4. Crie uma reserva para emergências

Por mais organizada que seja a vida, imprevistos de qualquer tipo sempre podem acontecer. E, para lidar com essas situações inesperadas sem dores de cabeça, a melhor opção é criar uma reserva para emergências.

Retomando o exemplo do tópico anterior, se aquele casal já tivesse uma reserva de segurança com a quantia de dinheiro suficiente para cobrir os gastos com exames, a viagem poderia ser realizada no mês seguinte sem problema algum.

Uma boa dica de finanças para recém-casados é estabelecer uma pequena porcentagem da renda mensal que deverá ser depositada nesse fundo de emergência, como 5%. Afinal, esse valor não fará muita falta no cotidiano, mas será de grande ajuda quando for necessário.

Cabe ressaltar que, como o próprio nome diz, essa reserva é exclusivamente para casos especiais, e não para gastos supérfluos. Ou seja, pondere racionalmente antes de utilizar o dinheiro, para não correr o risco de ficar sem ele quando realmente precisar.

5. Mantenha o hábito do diálogo

A base para um bom relacionamento é a transparência e, quando se fala em finanças, não é diferente. Um erro cometido por muitos cônjuges é o de guardar segredos sobre suas despesas e/ou receitas. Essa atitude, conhecida como infidelidade financeira, causa uma quebra de confiança que ameaça não só a estabilidade financeira mas também a relação do casal em si.

Os casos podem ir desde acontecimentos simples (como comprar um sapato e esconder do parceiro) até ocorrências mais graves (como fazer um empréstimo no banco com juros altos para cobrir uma dívida secreta).

Logo, é de extrema importância valorizar o saudável hábito do diálogo entre o casal, o que deve ser feito com sinceridade e tranquilidade. Quando isso acontece, mesmo após cometer algum erro, o cônjuge entenderá que a atitude mais sensata é contar ao outro para que, juntos, cheguem a uma solução.

6. Faça bons investimentos

Além de compartilhar ganhos e gastos, os recém-casados compartilham sonhos. Seja um novo carro, uma viagem pelo mundo ou a tão desejada casa própria, uma boa maneira de nutrir esses objetivos para o futuro é aplicar a renda do casal em investimentos.

Vale destacar que a união entre as rendas individuais potencializa o retorno sobre o investimento, fazendo com que essa opção seja a mais vantajosa. De modo geral, indica-se investir à medida que a vida financeira do casal vai se estabilizando. Porém, existem investimentos de baixo custo, que cabem perfeitamente nas finanças para recém-casados.

Um exemplo disso é o consórcio, uma modalidade flexível, com planos diversificados e pouca burocracia. Por se tratar de uma compra planejada e de um investimento de baixo risco, é de grande ajuda para a organização financeira do casal.

O pagamento à vista ainda permite um poder de negociação maior, trazendo mais benefícios na compra. E, se surgir uma renda extra, há também a possibilidade de antecipar a contemplação. Para se informar melhor sobre essa ótima alternativa de investimento, entre em contato conosco!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *