Como administrar seu dinheiro? 5 dicas para te ajudar com as finanças!

A educação financeira está em alta. Nomes como Nathalia Arcuri, Gustavo Cerbasi e Thiago Nigro colocaram o assunto em destaque, chamando atenção para a importância desse tipo de conhecimento. Aliás, quem se pergunta “como administrar meu dinheiro” com frequência acaba conseguindo poupar bem mais.

Os benefícios de fazer uma gestão financeira saudável são muitos. Passam por estabilidade, tranquilidade e até mesmo pelo bom uso dos recursos acumulados com o decorrer do tempo. Afinal, ninguém quer passar sufoco entre boletos e prestações. 

Falando nisso, a influenciadora do segmento da educação financeira, Nathalia Arcuri, tem uma frase que remete exatamente ao quanto é essencial ter conhecimento no assunto: “Poupar não é apenas deixar de gastar, é usar o dinheiro com mais inteligência e gastar menos em tudo o que for possível”. Mais do que um pensamento inspirador, é uma ideia que pode transformar seu futuro e te levar muito mais longe.

Então, quer saber como administrar seu dinheiro? Preparamos este conteúdo para que você possa organizar suas finanças pessoais, acabar com o desperdício e tirar do papel todos os seus sonhos. Boa leitura!

5 dicas de como administrar seu dinheiro

Mudar os hábitos financeiros requer alguns cuidados e muita atenção aos detalhes. Mas, como tudo mais na vida, é uma questão (principalmente) de adaptação. Com um pouco de disciplina, você será capaz de conquistar resultados incríveis — ou quem sabe até mesmo começar a investir com pouco dinheiro.

1. Defina metas e objetivos financeiros

O primeiro passo para saber administrar seu dinheiro é ter metas claras. É essencial que você saiba onde (e em quanto tempo) você quer chegar. Pode parecer o tipo de reflexão complexa, mas, honestamente, não é.

Quais são seus objetivos futuros? Separe em:

  • próximos 6 meses;
  • para daqui a 1 ano;
  • para daqui a 5 anos.

A partir disso, estabeleça o que você pretende conquistar, financeiramente falando. Pode ser se livrar de uma série de dívidas, zerar o cheque especial ou mesmo comprar seu primeiro imóvel. Quem sabe seu grande sonho não é comprar um carro? Pode ser qualquer coisa.

Aqui você vai registrar seus objetivos e colocar um valor estimado para cada uma das metas. Só assim você conseguirá saber, de verdade, se seus planos estão condizentes com sua realidade atual.

2. Catalogue todos os gastos

Para que você consiga chegar longe nesse processo de reeducação financeira, você terá que enfrentar a dura realidade dos seus gastos. Para isso, coloque em uma planilha todas as contas que você paga recorrentemente (e o que é adicional).

Sabe aquele café da manhã na padaria? Ele precisa entrar. Pequenas despesas podem atrapalhar muito a saúde financeira. Pode ser, ainda, aquela compra nada planejada de roupas ou presentes.

No primeiro momento, seus gastos podem assustar — e está tudo bem. O que importa nessa fase é você ter clareza (e total transparência) sobre para onde está indo o dinheiro.

3. Realize um planejamento financeiro 

Agora que você já sabe quais são seus objetivos financeiros e para onde vai o seu dinheiro, chegou a hora de começar a colocar a mão na massa e estruturar mudanças.

Aqui você vai focar totalmente em seu planejamento financeiro. Pense em quais contas podem ser cortadas, quais hábitos merecem ser mudados e até mesmo o que você precisa fazer para aumentar a sua receita. São pequenas mudanças que podem até ajudar a garantir uma aposentadoria tranquila.

Mais uma vez, trace metas para curto, médio e longo prazo. Pense em um recorte anual e no recorte mensal. Olhe primeiro para o que é possível mudar hoje, desde já. Depois lance um objetivo mais distante — que pode ser até mesmo estruturar uma mudança de carreira, para aumentar a entrada de dinheiro recorrente.

Afinal, administrar seu dinheiro é uma questão que envolve uma série de detalhes, muito além do desperdício de dinheiro. Entre eles, talvez você precise aprender mais sobre educação financeira.

4. Invista em educação financeira

O conhecimento em finanças, investimentos ou no bom uso do dinheiro não faz parte da cultura do brasileiro. Por isso, talvez você precise investir em sua educação financeira. 

Não importa qual o seu perfil na hora de estudar. É possível fazer cursos online, ler livros ou, se for o caso, contratar um consultor na área. Talvez você veja que uma pessoa especializada pode guiar você para sair das dívidas e começar a investir.

5. Aprenda a poupar e investir para o futuro

Por fim, arregace as mangas e coloque em prática tudo o que você aprendeu. Aqui é a hora de poupar para investir no futuro. Nessa fase, você já terá muita clareza sobre como o descontrole financeiro é um problema grave. Então, aproveite para mudar seus hábitos.

Depois de descobrir as diferenças entre economizar, poupar e investir, você deve voltar ao seu planejamento de curto e longo prazo e refletir sobre as metas para administrar seu dinheiro.

Para ajudar nessa missão, você pode adicionar aplicativos de educação financeira na sua rotina! Confira a nossa seleção a seguir.

Aplicativos que ajudam na gestão de gastos

Se, antigamente, administrar as finanças era algo extremamente trabalhoso, com a tecnologia tudo ficou bem mais fácil. É possível contar com a ajuda de aplicativos para celular 

  • Organizze: ideal para quem quer centralizar informações sobre gastos;
  • Guia Bolso: organiza dados, sincronizando com sua conta bancária
  • Mobills: outra opção para gerenciar suas contas e economias;
  • Minhas Economias: um gerenciador financeiro grátis;
  • Wally+: simplificado e mostra gastos mais e menos frequentes.

Para aprimorar suas habilidades e conseguir administrar o dinheiro com sucesso, você deve testar alguns aplicativos e plataformas para depois escolher aquele que mais se adéqua ao seu estilo de vida.

Enfim, a educação financeira é essencial para quem quer ter sucesso no controle dos gastos. Para conseguir conquistar e ver o dinheiro render, é essencial fazer um planejamento estratégico dos gastos, cortar o que não for necessário, estabelecer metas e aprimorar as habilidades em gestão de recursos. Só assim você conseguirá ser dono e não mais escravo do dinheiro.

Ainda se perguntando como “administrar meu dinheiro”? Assine nossa newsletter e fique por dentro de dicas exclusivas para investir e ter saúde financeira!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *