Como comprar um apartamento ganhando pouco? Aprenda agora!

A sua renda não está no nível que você gostaria e, por isso, o sonho do imóvel próprio parece impossível? Este post foi feito especialmente para mudar esse pensamento! Nosso papel é fazer você entender que, com organização, toda realização é possível. Então, vamos responder à pergunta: como comprar um apartamento ganhando pouco?

A resposta é rápida, embora nem sempre simples. Realizar qualquer compra, até mesmo as maiores, depende de um bom planejamento financeiro. Sim, isso quer dizer que você pode estar no seu apartamento próprio daqui a alguns anos, desde que consiga organizar suas finanças para isso.

Não é preciso ganhar muito dinheiro, mas é necessário adaptar seus gastos à sua realidade financeira. Vamos aprender a fazer isso? Confira as nossas dicas!

Organize suas finanças

Logo de início, é preciso descobrir como analisar as finanças de maneira mais eficiente. A desorganização financeira está na raiz de muitos problemas, como o endividamento. É por causa dela que várias pessoas não conseguem realizar o sonho da casa própria — mesmo que ganhem muito dinheiro.

Então, vamos resolver isso de uma vez por todas? O passo principal é colocar todas as contas no papel (ou, de forma mais tecnológica, em um aplicativo). Você precisa ter clareza do quanto ganha e o quanto gasta todo mês. Isso inclui tanto o salário fixo quanto comissões e outras formas de renda extra.

Na parte dos gastos, você deve anotar desde contas fixas até os custos flexíveis e pequenos (muitos deles passam despercebidos, como o cafezinho que você toma no intervalo do trabalho). Mesmo valores tão reduzidos podem fazer uma diferença grande em um orçamento apertado.

Por isso, registre tudo. Essa tarefa nem sempre vai ser fácil. Em alguns dias, você pode se esquecer de anotar algum gasto; em outros, vai querer desistir do desafio. Mas manter a disciplina é fundamental. E temos uma boa notícia: passadas as primeiras semanas, anotar tudo vai virar um hábito e se tornar natural.

Diminua gastos supérfluos

Por que é tão importante manter registros das suas movimentações financeiras? Porque não conseguimos mudar nada que não conhecemos a fundo. Ou seja, o objetivo de anotar os gastos em um aplicativo não é apenas o de criar esse hábito, e sim poder analisar seus padrões de consumo e modificar o que for preciso.

O próprio hábito de anotar tudo exerce uma influência positiva no seu consumo. Por exemplo, você pode pensar duas vezes antes de comprar mais um tênis depois de lembrar que vai ser preciso registrar o gasto. Isso acontece porque, com a ajuda do aplicativo, comprar deixa de ser um impulso e passa a ser uma atividade consciente.

Porém, essa mudança de comportamento não é suficiente para aprender como comprar um apartamento ganhando pouco. É preciso fazer escolhas sobre os seus gastos. Para isso, analise os registros feitos e divida-os por categoria (os aplicativos financeiros já fazem isso para você). Assim, vai ser possível saber o quanto é gasto com as contas de casa, com lazer, cuidados pessoais etc.

Então, chega a hora de decidir o que pode ser cortado ou reduzido. Quais são as suas prioridades financeiras? E o que é supérfluo para você? Analise as contas e decida isso. Todo o gasto que você minimizar hoje significa um passo a mais na conquista de seus sonhos.

Só tenha cuidado: a ideia não é cortar tudo que traz felicidade. Manter a qualidade de vida também é importante para gerar motivação. Se a vida se resumir a trabalhar e pagar contas fixas, o estresse não vai deixar você continuar estimulado a juntar dinheiro. Nesse sentido, uma boa dica é substituir alguns gastos em lazer por programas gratuitos ou mais baratos.

Tenha metas e objetivos financeiros

Você conhece alguém que ganha muito dinheiro, mas não montou um patrimônio ainda? E de pessoas que recebem pouco, mas conseguem realizar muitas coisas, você já ouviu falar? Os dois casos são mais comuns do que algumas pessoas imaginam. Isso porque existe uma verdade que nem todos se dão conta: a disciplina é mais importante que a velocidade.

Na prática: não adianta alguém ter um salário enorme, se gasta tudo ao longo do mês e não sobra nada para o futuro. Em comparação, uma pessoa que recebe metade da sua renda pode conseguir comprar um carro ou uma casa, apenas porque, em algum momento, decidiu viver com menos e fazer sobrar dinheiro.

E o que muda nas duas situações? A existência de metas e objetivos financeiros! Se você espera receber um bom salário para só então começar a se planejar, está perdendo meses e até anos preciosos da sua vida. Do contrário, se inicia suas metas desde hoje, já estará bem mais perto dos seus sonhos quando passar a ganhar mais.

Pense bem: se você tivesse começado a juntar dinheiro há cinco anos, não estaria mais confortável hoje? Essa é a ideia que permite saber como comprar um apartamento ganhando pouco. Se um salário pequeno for bem administrado, você pode estar decorando seu próprio imóvel em um futuro próximo!

Fuja de dívidas e juros

Agora precisamos fazer um alerta sobre um assunto muito sério: o endividamento. Muitas pessoas acreditam que vão realizar um projeto, mas acabam desequilibrando suas finanças ao entrar em dívidas e pagar altos juros. Por isso, você precisa pensar em maneiras saudáveis de adquirir seus bens.

A melhor forma é fazendo um consórcio, pois não há cobrança de juros, não é preciso ter um valor de entrada e o melhor de tudo: você tem o poder de decisão sobre as condições de pagamento. O número de parcelas e o valor delas é uma escolha que vai depender das suas possibilidades e limites financeiros.

Fazer um consórcio de imóveis se adequa bem às suas metas e objetivos, já que o dinheiro poupado a cada mês vai servir para pagar as parcelas e chegar mais perto do seu apartamento próprio. Nos meses em que for possível poupar mais, você pode usar o valor para dar um lance e antecipar a compra. Assim, consegue realizar seus sonhos sem prejudicar as finanças.

Seguindo essas orientações é possível saber como comprar um apartamento ganhando pouco. Com um bom planejamento, esforço e paciência, essa realização estará mais perto do que você imaginou. E o melhor: sem que o sonho vire um pesadelo rodeado por dívidas e juros!

E então, este post ajudou você a despertar para a necessidade de organizar sua vida financeira? Aproveite e aprenda ainda mais com o nosso e-book sobre planejamento financeiro familiar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *