Concessionária ou mecânico particular: onde fazer a revisão do carro?

Realizar todas as revisões do seu carro é essencial para garantir o bom funcionamento dos sistemas e a sua segurança. Além desses benefícios, ficar de olho na vida útil das peças também é importante para economizar — afinal, uma manutenção corretiva sempre sai mais caro que a preventiva.

Mas, diante dessas necessidades, muitos proprietários se perguntam se é melhor fazer a revisão em concessionária ou oficina mecânica particular. Ambas têm vantagens e desvantagens, que precisam ser avaliadas com cuidado pelos motoristas.

Você quer ter informações suficientes para tomar a melhor decisão? Veja as orientações que trouxemos neste post!

Quais aspectos considerar ao fazer a revisão de carros?

A revisão veicular tem como objetivo manter a vida útil das peças e de todo o veículo. Por isso, esse procedimento precisa ser realizado de maneira periódica — normalmente, a cada 10 mil quilômetros rodados.

Essa distância é definida, porque é a partir dela que os primeiros desgastes começam a surgir. No entanto, existem particularidades. Uma delas é a limpeza dos bicos injetores, que só requerem manutenção depois de 30 mil quilômetros.

Para saber exatamente o que fazer, é preciso contar com um profissional de sua confiança e conhecer quais aspectos devem ser analisados durante a revisão do automóvel. A seguir, vamos elencar os principais pontos a que você precisa dar atenção na hora de decidir aonde levar o seu automóvel.

Garantia

Esse é um dos motivos centrais que levam as pessoas a fazer a revisão do carro nas concessionárias. Quem compra um veículo zero-quilômetro recebe a garantia de fábrica, cujo tempo de duração depende de cada marca. Em geral, o requisito para usufruir desse benefício é realizar todas as manutenções em lojas autorizadas.

Assim, quem leva o carro novo a um mecânico particular corre o risco de perder a garantia do produto que adquiriu. Ao cumprir com as exigências, o proprietário tem a certeza de que a montadora vai resolver qualquer problema que surgir no veículo dentro do intervalo descrito no manual. Por isso, quando analisamos esse ponto, as concessionárias costumam ter vantagem.

Com relação a quem comprou o carro há mais tempo ou adquiriu um seminovo que já saiu desse período, tanto faz realizar as revisões na concessionária ou na oficina particular. O importante é ter confiança nos profissionais que farão o atendimento.

Periodicidade das revisões

Quem comprou um veículo novo e está se perguntando onde fazer a revisão do carro também pensa na frequência das manutenções. Quando o automóvel ainda está na garantia, você é obrigado a levá-lo à concessionária e a efetuar todas as manutenções no tempo correto.

Geralmente, elas são realizadas a cada seis meses ou 10 mil quilômetros rodados. No entanto, esse período pode variar, a depender das informações contidas no manual do fabricante. Deixar de comparecer a uma dessas marcações pode acarretar a perda da garantia.

Ao contar com a assistência de uma concessionária, o proprietário tem mais controle sobre a frequência dos cuidados. Por outro lado, quem opta por um mecânico particular precisa ficar de olho para manter as manutenções em dia. É importante que o calendário seja cumprido, mesmo sem obrigação.

Preço

O preço varia muito, de acordo com o local em que você vai revisar o carro. Como a questão financeira pesa muito na decisão dos brasileiros, esse é um grande motivo pelo qual alguns proprietários de veículos fora da garantia preferem buscar o serviço de oficinas particulares para economizar.

Entretanto, o ideal é considerar não apenas o valor cobrado, mas a relação custo-benefício. Alguns locais oferecem preços mais acessíveis apenas porque trabalham com pouca qualidade. Há, inclusive, o risco de sofrer com ilegalidades — por meio do uso de peças falsificadas, por exemplo.

Uma característica positiva das concessionárias é contar com valores tabelados. Dessa forma, o consumidor evita surpresas desagradáveis no momento de pegar o carro e checar a conta final.

Qualidade dos profissionais

A revisão em uma concessionária oferece a certeza de que seu carro está sendo cuidado por profissionais capacitados e especialistas na marca. As lojas trabalham apenas com peças originais, o que agrega confiança ao atendimento. Esses motivos levam muitos proprietários a continuar optando por essa alternativa mesmo com o fim da garantia.

Por outro lado, profissionalismo e honestidade são características verificadas também nos mecânicos particulares. Muitos têm equipes qualificadas e itens de qualidade. O cuidado, aqui, é saber se o mecânico tem conhecimentos sobre o modelo do seu carro e se conta com os equipamentos adequados para fazer as manutenções e resolver todos os problemas.

Atendimento

A cordialidade das equipes em concessionárias e oficinas depende muito de cada local. O importante é que o proprietário procure uma empresa em que seja bem recebido e informado sobre tudo. Tanto lojas quanto mecânicos particulares podem deixar a desejar nesse quesito.

Um ponto que merece ser avaliado é a oferta de serviços diferenciados. As redes de concessionárias, por terem um tamanho maior e fecharem parcerias, garantem benefícios aos clientes, como descontos e brindes. Isso também pode acontecer em oficinas. Como o mercado dessa área está muito disputado, é comum que elas se esforcem mais, a fim de fidelizar o cliente.

Quais as vantagens de fazer a revisão na concessionária e no mecânico particular?

A escolha depende de vários fatores, como já ficou claro pelo tópico anterior. Você pode selecionar a alternativa mais adequada para o seu bolso, desde que o trabalho realizado seja bem-feito. Isso significa que as especificações da fabricante devem ser seguidas.

Então, quais são os benefícios de optar pela revisão na concessionária ou na oficina? Confira!

Vantagens de fazer a revisão na concessionária

O principal benefício da loja autorizada é ter um serviço feito por profissionais especializados, que conhecem bem a mecânica da marca e saberão identificar quaisquer irregularidades. Além disso, o uso de peças originais é garantido, porque a concessionária é obrigada a agir dessa forma pela marca.

Powered by Rock Convert

Esses são os motivos que justificam o serviço de mais qualidade, quando comparado à maioria das oficinas comuns. Por essas razões, o carro também desvaloriza de maneira mais lenta. Com isso, você tem mais chances de revendê-lo.

Vantagens de fazer a revisão em mecânico particular

As oficinas apresentam alguns benefícios em relação às concessionárias. Uma delas é o atendimento diverso, já que os profissionais lidam com diferentes modelos e fabricantes. Com isso, têm ampla experiência e são capazes de diagnosticar de maneira certa qualquer problema que surja.

Caso você tenha mais de um carro e eles sejam de marcas variadas, todos podem ser avaliados pelo mesmo mecânico particular. Os preços dos serviços são mais baixos, porque há mais flexibilidade no trabalho, e o profissional só vai trocar uma peça se for realmente necessário.

A revisão veicular também é mais completa, porque contempla mais do que o determinado pelo manual e vai além dos itens básicos. Assim, são incluídos os sistemas de frenagem, transmissão, motorização e suspensão. Por fim, em situações de emergência, é o mecânico particular que vai salvar sua vida.

O que é mito e o que é verdade na revisão de carros?

Na hora de fazer a revisão do seu veículo, é comum ter dúvidas. Há vários motivos e verdades que rondam esse procedimento. Como decidir o que é correto e o que é boato? Veja!

Descontaminação do motor a cada revisão

O motor precisa ser descontaminado em alguns casos, mas é um mito achar que esse procedimento deve ser realizado a cada revisão. O recomendado é fazer a descontaminação depois de ter mais de 30 mil quilômetros rodados. Para isso, basta substituir os filtros de combustível, de ar e de óleo de acordo com os prazos do fabricante.

Caso você trafegue em estradas de terra com frequência ou tenha abastecido com um combustível adulterado, vale a pena verificar se é preciso fazer a descontaminação na revisão do carro. Assim, evita outros problemas.

Troca do fluido de freio após 20 mil quilômetros

Essa é uma verdade que precisa ser levada a sério. Mais que trocar a pastilha e verificar o estado do freio de mão, é preciso analisar o fluido de frenagem e trocá-lo a cada 20 mil quilômetros. Essa medida é necessária para evitar o desgaste das peças internas do sistema.

Espelhamento da pintura logo após a compra do veículo

O brilho da pintura costuma sair com o tempo. Com isso, o carro fica ofuscado pelos anos de uso. O problema é derivado de maresia, dejetos de pássaros, chuva ácida e outras situações. Você pode ficar despreocupado pelo período equivalente a 20 mil quilômetros. Depois disso, é importante manter a cera em dia ou recorrer a processos de espelhamento e cristalização, que preservam a cor por mais tempo.

Correção da cambagem a cada revisão do carro

A correção da cambagem serve para corrigir desajustes, mas ela nem sempre precisa ser feita. Muitas vezes, o próprio alinhamento soluciona os problemas. Portanto, ela só deve ser usada quando:

  • seu carro passar por um buraco grande e estiver em alta velocidade;
  • as rodas forem forçadas contra o meio-fio no momento de estacionar;
  • o carro sofrer uma colisão.

Nesses casos, a cambagem é necessária para ajustar a calibragem da roda de forma minuciosa.

Alinhamento e balanceamento a cada 10 mil quilômetros

Esses dois procedimentos ajudam a manter a estabilidade e a segurança do veículo. Quando você ignora a recomendação de fazer o alinhamento e o balanceamento a cada 10 mil quilômetros, tende a gastar mais combustível e sofrer com o desgaste prematuro dos pneus.

Isso acontece porque há uma concentração maior de peso em um dos lados, e esse desequilíbrio desgasta a banda de rodagem. Assim, o alinhamento direciona as rodas, e o balanceamento sustenta a distribuição do peso do carro sobre os quatro pneus.

Reposição do óleo do motor com o motor quente

A substituição e o processo de completar o óleo do motor é fundamental para evitar prejuízos ao automóvel. O nível do fluido deve ser conferido com frequência, bastando abrir o capô e verificar a vareta encontrada dentro do motor. Retire-a e veja se o líquido está na medida sugerida. Para isso, veja alguma sinalização ou ranhura na própria vareta.

No entanto, nunca faça esse procedimento com o motor ligado e/ou quente. Isso prejudica a precisão do nível do óleo e ainda pode fazer você se queimar.

Troca das velas de ignição a cada 20 mil quilômetros

As velas são responsáveis pela ignição do motor. Por isso, ainda que elas não causem problemas irreversíveis, são fundamentais para o bom desempenho do carro. Além disso, quando estão estragadas, há um aumento do consumo, e o automóvel pode parar de funcionar.

Isso acontece porque as velas gastas geram faíscas fracas. Para evitar essa situação, faça a avaliação a cada 20 mil quilômetros. Se quiser ter mais precisão nessa análise, verifique a indicação no manual da fabricante.

Quais cuidados você precisa ter nessa escolha?

Decidir se é melhor fazer a revisão na concessionária ou na oficina não é tarefa simples. Se o seu veículo ainda está na garantia, o aconselhado é manter as exigências da concessionária, para evitar problemas. Se esse requisito não existe mais ou se você não se preocupa em perder o benefício, é possível ponderar todos os prós e contras das duas opções.

Independentemente de escolher concessionária ou mecânico particular, alguns pontos merecem atenção especial. O ideal é não confiar cegamente nem nas lojas, nem nas oficinas. Estabelecer uma relação de credibilidade exige tempo e experiências positivas. Uma boa dica é pedir indicação para amigos e familiares, assim como procurar opiniões ou reclamações na internet.

Além disso, busque conhecimentos básicos sobre mecânica, para não ser enganado. Se você não tem facilidade nesse campo, prefira comparecer às revisões em concessionária ou oficina junto de outra pessoa. Por fim, guarde todos os recibos e as notas fiscais, caso precise comprovar a manutenção em uma venda no futuro.

Agora você tem mais elementos para escolher onde fazer a revisão do carro! Fique atento aos aspectos que elencamos e avalie qual é a melhor opção. Não há uma decisão certa ou errada — é preciso analisar as suas necessidades e possibilidades.

Agora que você sabe como e quando fazer a revisão veicular, o melhor é seguir as recomendações. Se você quer mudar de automóvel, aproveite e faça este quiz para saber quando chegou a hora de trocar o seu carro!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.