Conheça 7 segredos para economizar ganhando pouco

Em tempos em que a economia não vai muito bem, mais do que nunca é hora de começar a pensar em poupar mais e segurar alguns gastos. Porém, como economizar ganhando pouco e ter mais estabilidade financeira? Essa é uma dúvida comum para muitos cidadãos, já que o último censo do IBGE calculou que 46,34% dos brasileiros vivem com até 2 salários mínimos por mês.

Porém, para conseguir poupar um bom valor no final do mês e ainda fazer o dinheiro render, é preciso ficar atento a alguns fatores e reformular alguns hábitos. Quer saber como fazer isso? Continue a leitura deste post e comece hoje mesmo a organizar sua vida financeira e economizar mais!

1. Faça um diagnóstico da sua situação financeira

O primeiro passo para quem não tem uma renda mensal tão alta mas deseja poupar mais é analisar tudo o que entra e sai da conta bancária. Esse estudo pode parecer um pouco trabalhoso, mas não o será se você fizer uma planilha e construir o hábito de anotar tudo nela, tornando-a uma verdadeira aliada da economia familiar.

Faça a primeira parte apenas com os gastos fixos: contas de energia, água, internet, escola dos filhos, aluguel, parcelas a vencer, entre outros débitos que a casa possui. Depois, separe um espaço para os gastos variáveis: o almoço no final de semana com a família, o cafezinho com sobremesa depois do trabalho e outros pequenos ou grandes valores que você gasta no dia a dia.

Com a planilha em mãos, fica muito mais fácil saber se você gasta mais do que ganha, por exemplo, até quanto seria possível economizar se alguns gastos fossem cortados ou reduzidos e, ainda, quais são eles.

Ao ter uma visão mais ampla, você consegue ter mais claro em sua mente que atitudes tomar para começar a se organizar financeiramente e poupar mais.

2. Planeje-se para comprar

Liquidações e facilidade na hora do pagamento, parcelas e juros baixos são excelentes atrativos para realizar uma compra. Porém, esses fatores precisam ser combinados a outras questões da sua economia.

Muitas vezes, é melhor comprar um item sem o desconto, mas em um momento em que você não vai se apertar, do que aproveitar a promoção e ficar com o orçamento no vermelho.

As compras de maior valor, principalmente, devem ser analisadas e planejadas. Por exemplo, se você precisa de um eletrodoméstico novo ou de um móvel, planeje-se e comece a guardar uma quantia mensalmente para comprá-lo à vista, já que essa é, na maioria das vezes, a melhor opção.

3. Estude a possibilidade de ter uma fonte de renda extra

Muitas pessoas se atêm ao trabalho como única fonte de renda e se esquecem de que podem ganhar mais dinheiro com um trabalho alternativo, feito depois do expediente. Se você tem uma profissão que permite realizar serviços como freelancer, por exemplo, que tal dedicar-se a isso durante 2 ou 3 horas do dia?

Você também pode vender itens online, fazer doces e salgados sob encomenda ou transformar qualquer hobby ou habilidade em uma fonte de renda extra.

4. Use a regra do 50/30/20

Essa regra é muito indicada para quem ainda fica um pouco perdido na hora de organizar as finanças e saber com o que e o quanto gastar para não ficar no vermelho. A regra do 50/30/20 consiste em não deixar os gastos fixos passarem de 50% do orçamento familiar.

Os 30% são direcionados ao seu bem-estar: um almoço fora, um mimo para uma pessoa querida ou um café no shopping. Você decide como gastar esse dinheiro, já que também merece um momento seu.

Os 20% restantes são para poupar. A dica para manter essa porcentagem é: assim que receber o salário e pagar suas contas fixas, pegue o relativo aos 20% e coloque em sua poupança para não ter perigo de acabar gastando tudo junto com os 30%.

5. Corte os gastos desnecessários

Com sua planilha em mãos, analise com sua família o que pode ser cortado para que o salário sobre no final do mês. Você pode, por exemplo, substituir aquele almoço de final de semana fora em uma refeição em casa, em família, com todos ajudando a cozinhar. Com certeza tudo ficará ainda mais divertido e econômico.

Aquela sobremesa diária também pode ter a frequência reduzida, assim como o cineminha de fim de semana ou a balada. Não é preciso cortar tudo, mas sim chegar a um equilíbrio, no qual seus gastos com diversão e refeições fiquem dentro dos 30% estimados na regra do tópico acima.

6. Reduza os gastos fixos

Ao contrário do que muita gente pensa, os gastos fixos podem, sim, ser reduzidos. Você pode ir até a escola das crianças para pedir um desconto na mensalidade, assim como pesquisar em mais de um supermercado o preço dos itens que você sempre compra. No final do mês, isso já pode significar uma economia importante.

Também é importante conscientizar a família sobre a redução dos gastos. Por exemplo, incentive as pessoas a apagar as luzes dos ambientes em que não há ninguém, demorar menos no banho e fechar a torneira para escovar os dentes e para ensaboar a louça.

7. Estude sobre como investir e gastar bem seu dinheiro

Nunca deixe de querer aprender mais. Procure um investimento para colocar seu dinheiro ou invista em bens. Você pode optar por fazer um consórcio de um imóvel para alugar no futuro ou mesmo para garantir uma moradia para os filhos quando crescerem.

Esta é uma forma inteligente de adquirir um bom patrimônio, já que o consórcio não tem altos juros, pode ser feito com um bom planejamento financeiro, e o valor de aquisição do bem é sempre compatível com o de mercado, ou seja, você não vai pagar valores exorbitantes para conquistar seu bem.

Economizar ganhando pouco pode parecer um desafio, mas é possível se houver organização e vontade de acumular um bom montante para investir e até ter uma reserva emergencial, que é muito importante para qualquer pessoa. Agora, basta colocar nossas dicas em prática e começar a economizar!

Gostou do post de hoje? Então, aproveite para seguir nossa página no Facebook e ficar por dentro de nossas novidades!

Powered by Rock Convert

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *