Conheça os 7 melhores investimentos de baixo custo no mercado

Investir deixou de ser território de somente algumas pessoas — especialistas, sócios de grandes empresas, especuladores etc. Hoje, quem quer começar a poupar pode procurar investimentos de baixo custo para garantir sua segurança financeira.

Com ela, você usufrui do que a vida tem de bom — compra um bom carro, aproveita o prazer de dirigir, tem uma casa confortável, sai para relaxar — mas também não pode esquecer do futuro, principalmente se tem filhos com quem se preocupar.

Se você compartilha desse pensamento e está em busca de bons investimentos de baixo custo, este post é seu. Aproveite-o!

O que são investimentos de baixo custo?

São aqueles que não exigem muito dinheiro para iniciar. Você até pode somar um bom montante depois de um tempo, mas não vai aplicar tudo de uma vez. A ideia é exatamente essa: formar um saldo extra, que não vai se desvalorizar e pode ser utilizado para formar patrimônio e garantir segurança financeira no futuro.

Por que esse tipo de investimento é vantajoso?

Pela facilidade de dar o primeiro passo, pois você não precisa juntar muito dinheiro para poder investir. E, no fim das contas, há vários pontos positivos nesse tipo de aplicação. Acompanhe:

Aprendendo a se disciplinar

Quem tem dificuldades em manter uma poupança pode aprender se disciplinar. Assumindo um compromisso mensal, você já programa o pagamento dele. Assim, não gasta esse dinheiro desnecessariamente.

Garantindo a sua liquidez

Em troca de uma rentabilidade maior para os investidores, bancos e financeiras oferecem opções com valor mínimo mais alto e estipulam um tempo mínimo para resgate, como uma carência. Mas isso acaba com sua liquidez: você se descapitaliza e, em uma emergência, não pode resgatar o valor investido.

Prevenindo-se de perdas

E se no fim das contas o investimento não der o retorno que você quer? Como reaver o dinheiro aplicado? Quando a aplicação é alta, as perdas pesam mais, porque são proporcionais.

Ganhando experiência

Com investimentos de baixo custo você divide seu dinheiro — aplicando um tanto aqui, outro ali — e pulveriza os resultados. Um retorno melhor cobre o ruim e você ganha experiência: no qual verificar que é mais vantajoso, faz novas aplicações.

Quais as melhores opções do mercado?

Há diversas opções de investimentos de baixo custo no mercado. Você tem que conhecer seus detalhes para escolher bem. Avalie condições, retorno, descontos e compare com seus objetivos. O que você precisa é o que essa opção oferece? Essa é a pergunta-chave.

Sendo assim, conheça 7 investimentos de baixo custo para considerar em seu planejamento:

1. Consórcio

Independentemente do bem, o consórcio é uma boa pedida para formar patrimônio. Na verdade, essa é uma opção de investimento bem versátil, porque você:

  • é obrigado a poupar;

  • tem a certeza de obter o bem ao final do investimento;

  • não corre riscos com indicadores financeiros, que mudam conforme o cenário econômico etc.

Muita gente usa o consórcio como estratégia para trocar de carro periodicamente e ter sempre um zero-quilômetro ou seminovo. Nesse tipo de investimento, você adquire a cota para um grupo de três anos de duração, por exemplo, e, então, paga as parcelas — podendo ser contemplado e receber seu carro novo antes do fim do período.

Quando quitar o consórcio, você vende o carro e usa parte do valor para dar um bom lance e antecipar sua contemplação. Assim, troca de veículo um período curto de tempo e tem um dinheiro extra para investir — tanto em outros consórcios como em qualquer aplicação interessante.

2. CDB

O CDB (Certificado de Depósito Bancário) é uma modalidade bem popular de investimento. Os bancos emitem CDBs para captar dinheiro e, em troca, pagam juros — que podem ser prefixados ou indexados em algum indicador econômico.

O ponto importante aqui é que essa rentabilidade varia e pode ser bem baixa, dependendo do tipo de CDB e da economia.

Grandes bancos costumam pagar cerca de 80% a 85% do CDI, que acompanha a taxa SELIC. Se o Banco Central anunciar redução dessa taxa, esse pode ser um mau negócio.

Também leve em conta o depósito inicial, avaliando seu orçamento, o retorno e possíveis descontos de IOF e Imposto de Renda. Se você não acompanha a economia, é melhor buscar opções mais simples e garantidas, como o consórcio.

3. Poupança

A poupança é a opção mais básica entre os investimentos. Porém, ela não é muito vantajosa. Primeiramente porque o dinheiro pode ser sacado a qualquer momento — como fugir da tentação de gastá-lo?

E, embora ela seja isenta de Imposto de Renda, seu retorno é bem pequeno. No fim das contas, com a desvalorização da moeda, você pode não sentir nenhum efeito positivo sobre o dinheiro deixado na caderneta de poupança.

4. LCI e LCA

Letras de Crédito Imobiliário e do Agronegócio também são bem populares. Elas são emitidas para levantar recursos para esses dois setores. Sua remuneração é bem parecida com a do CDB, em muitos casos. Aqui, então, valem as mesmas observações:

  • avalie o retorno;

  • analise o valor inicial;

  • atente para os descontos;

  • aplique somente se entender de indicadores econômicos.

5. Títulos do Tesouro Prefixado

Esses são papéis emitidos pelo Governo para levantar recursos. Assim como os bancos, eles “tomam dinheiro emprestado” dos investidores e remuneram conforme condições estabelecidas.

Nos títulos prefixados, o lado bom é que você sabe quanto vai receber, pois negocia a taxa de juros na hora de fechar o negócio. Mesmo assim, não fica livre de acompanhar a economia: se a SELIC — que é a taxa de juros básica da economia — for maior que o retorno negociado, o título se torna um mau negócio.

Essa pode ser uma opção boa se você preza por segurança e se o país estiver em um momento muito estável da economia.

6. Aplicações indexadas em IPCA, Selic ou IGP-M

Nos momentos de instabilidade financeira, em que a inflação está marcando muito mais pontos que o nosso bolso, investimentos — como CDB, Tesouro etc. — baseados nesses indicadores podem trazer ótimos resultados.

Por outro lado, já sabe: em tempos de calmaria, os indicadores são baixos, e seu retorno também será.

7. Investir em uma franquia

Por fim, há a possibilidade de investir em um modelo de negócios já testado e em funcionamento, que é a franquia. Em muitos casos, as opções não têm tão baixo custo assim, mas há modelos mais cleans de negócio que podem caber no seu bolso.

Se você dispõe de tempo para se dedicar tanto ao negócio como a treinamentos para se capacitar e aproveitar o know-how do franqueador, a franquia é uma opção de investimento interessante.

Claro que ela também está sujeita a algumas variáveis, como sua experiência no ramo, o mercado local e suas condições financeiras — afinal, um tipo de investimento desses leva um tempo para dar retorno.

Portanto, é preciso uma avaliação prévia bem detalhada para garantir que essa é uma boa jogada e para minimizar as incertezas.

Esses são investimentos de baixo custo interessantes para você aplicar suas finanças e garantir um bom retorno. Avalie aquele que oferece menos riscos e mais se enquadra no seu perfil e nas suas perspectivas de futuro e comece a preparar suas finanças desde já!

E, se achou este conteúdo útil, compartilhe-o nas suas redes sociais e discuta possibilidades com seus amigos e contatos!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *