Débito ou crédito? Veja quando utilizar cada uma das opções

“Débito ou crédito?” Certamente você já ouviu bastante essa expressão quando vai efetuar uma compra no cartão. Provavelmente, também passou alguns momentos em que teve dúvidas a respeito de qual opção era a mais adequada — com receio de prejudicar as finanças pessoais.

É muito comum ter essa indecisão, já que ambas as opções estão quase sempre disponíveis e, para muita gente, pode não haver muita diferença nas formas de pagamento ou, por falta de conhecimento, utilizar os recursos de forma equivocada (o que pode prejudicar a saúde financeira no médio e longo prazo).

Pensando nesse dilema, resolvemos elaborar este artigo para mostrar como cada uma delas funciona, as vantagens e qual é o momento para utilizá-las. Continue com a leitura e saiba mais sobre o assunto agora mesmo!

Como cada um deles funciona

Antes de mais nada, é preciso entender como os cartões de débito e crédito funcionam. Assim, fica mais fácil saber depois quando é o momento certo de escolher cada modalidade. Saiba mais com os tópicos a seguir.

Cartão de crédito

Com o cartão de crédito, você faz uma compra que só será paga posteriormente. Assim, podemos dizer que ele funciona como um empréstimo feito pela instituição. Se o montante for elevado, é possível parcelar e pagar as prestações ao longo dos meses.

Porém, ao contrário do empréstimo, não é feita a cobrança de juros sobre o valor da compra — desde que você faça os pagamentos em dia, é claro.

Cartão de débito

Já o cartão de débito é utilizado quando se tem o dinheiro disponível para a compra. Nesse caso, quando a transação é realizada, é feito um débito que subtrai o valor diretamente na sua conta. Portanto, só é possível utilizar essa forma de pagamento quando o seu saldo está positivo e soma o valor mínimo necessário.

As vantagens do débito e do crédito

Agora que você entende melhor como cada modalidade funciona, vamos apresentar as vantagens que elas podem oferecer.

Cartão de crédito

O cartão de crédito é um excelente recurso para quando surge alguma emergência e você não tem o valor disponível para cobrir os gastos. Além disso, é bem útil na hora de fazer compras de valores mais altos, que precisam ser parcelados.

Algumas instituições oferecem programas de pontos, que são acumulados cada vez que você efetua uma compra — o cálculo e a forma de conversão pode variar entre elas, mas a lógica é sempre a mesma: quanto mais você gasta, mais pontos acumula. Eles podem ser trocados por produtos, serviços ou milhas aéreas, por exemplo.

Cartão de débito

O cartão de débito, por sua vez, é ótimo para quem quer evitar andar com dinheiro na carteira e é a melhor opção para as compras do dia a dia, já que ajuda a controlar melhor as finanças inibindo os excessos, visto que você só vai comprar se tiver com o dinheiro disponível na conta (e nada além disso).

Outra grande vantagem dessa modalidade é que diversos estabelecimentos oferecem descontos para a compra no débito, uma vez que o pagamento é efetuado à vista. Sempre lembre-se de perguntar antes se existe essa política no local antes de concluir a transação.

Débito ou crédito: quando utilizar as opções

Entendeu melhor como as opções funcionam e as vantagens que elas proporcionam? Ainda ficou com um pouco de dúvidas em relação a quando utilizar o débito ou crédito nas suas transações? Veja as recomendações a seguir.

Cartão de crédito

O cartão de crédito é a forma mais indicada para realizar as compras que têm um valor mais alto, como eletrodomésticos e pacotes de viagens — isso, é claro, se você não contar com o valor para fazer o pagamento à vista.

Alguns cartões também podem ser utilizados para compras internacionais, independentemente de elas forem realizadas em viagens ou em lojas online. Porém, é sempre necessário verificar antes com a instituição se essa modalidade está disponível.

Apesar de ser bem útil, principalmente para os momentos de emergência, é sempre necessário ter um cuidado extra com o crédito para não correr o risco de se endividar. Dependendo dos seus gastos, as parcelas podem se acumular e, depois de certo tempo, somarem um valor acima do que você pode pagar — principalmente quando o limite for mais alto.

Assim sendo, é importante evitar os gastos por impulso e vê-lo apenas como um recurso utilizado para momentos de emergência e compras nas quais você não tem o valor disponível. Afinal, o crédito pode passar aquela sensação de poder de compra que você não tem — esquecendo-se de que a conta chega depois.

Cartão de débito

Para os gastos cotidianas, como compras, pagamento de contas (água, energia e internet) e outros gastos menores, o débito é a melhor opção. Afinal, você vai utilizar os seus ganhos para manter o seu custo de vida e ficar dentro das suas metas financeiras.

Com essa modalidade, fica mais fácil monitorar todas as saídas que ocorrem na sua conta e saber quando é o momento de segurar o consumo. Dessa forma, se o dinheiro está acabando e você tem o desejo de adquirir algo, vai pensar duas vezes antes de comprar.

Se você está passando por problemas financeiros ou tem receio de se endividar, opte sempre pelo débito, até que a situação volte a estar sob controle — e deixe o cartão de crédito apenas para aquelas situações em que o gasto é realmente necessário.

Entender como funciona e saber quando utilizar o débito ou crédito é fundamental para manter as suas finanças pessoais em dia e evitar o endividamento, prejudicando sua capacidade de pagamento e até mesmo acarretando o registro do seu nome nos bancos de proteção ao crédito — lembre-se que todas as compras parceladas, mesmo pagas dentro do prazo, são consideradas dívidas. Portanto, todo cuidado é pouco para controlar o orçamento.

O que achou do artigo? Suas dúvidas sobre o assunto foram esclarecidas? Quer aproveitar para saber como fazer (ou melhorar) o seu planejamento financeiro? Então, você não pode deixar de conferir este guia completo que fizemos sobre o assunto!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *