Metas financeiras: 5 dicas para você estabelecer as suas

Quem não quer melhorar sua situação financeira? É difícil imaginar um brasileiro que responderia negativamente a essa pergunta. Mas você já pensou que realizar esse desejo só depende das suas ações? Sim, é possível ter mais dinheiro se organizando e traçando com inteligência as metas financeiras.

É claro que nem sempre isso é fácil. Fazer um bom planejamento do orçamento doméstico é um desafio. Entretanto, algumas estratégias e ferramentas podem simplificar muito essa tarefa e aproximar você da realização de seus sonhos. Por isso, queremos ajudá-lo! Acompanhe as dicas que trouxemos neste post e aprenda como administrar melhor seu dinheiro!

1. Defina seus objetivos

Essa caminhada começa com a escolha do destino. Afinal, como saber o que fazer, se você não sabe aonde quer chegar? Por isso, o primeiro passo é avaliar sua vida e fazer planos para o futuro. Com essas metas no papel é possível direcionar os seus atos e canalizar os seus esforços desde já.

Você pode, por exemplo, ter o desejo de economizar dinheiro. Então, deve pensar: poupar para quê? Que gastos cortar? O que será feito com o valor que sobrar no final do mês? Todas essas perguntas são úteis na hora de definir os seus objetivos.

Vamos supor que você decidiu minimizar alguns custos supérfluos para que seu salário renda mais. Se não houver planos para o dinheiro que você está juntando, fica mais difícil manter o compromisso e continuar com essa postura por vários meses, não é?

Agora, imagine que sua família está sonhando com uma viagem internacional no próximo ano. Sabendo disso, fica mais fácil poupar visando custear essas férias. Provavelmente, vocês vão se lembrar desse projeto sempre que sentirem vontade de comprar algo que não está nos planos. A economia faz mais sentido, pois há um objetivo à vista.

2. Seja realista e específico

O momento de listar as metas financeiras não é tão simples. Para que elas cumpram, de fato, a função de orientar suas finanças, você precisa de objetivos reais e bastante específicos. Já falamos, por exemplo, que um desejo muito genérico, como apenas juntar dinheiro, não ajuda muito.

Da mesma forma, planejar algo muito distante da sua realidade também não é a melhor opção. Pense na frustração de traçar metas maiores do que suas possibilidades e acabar não conseguindo cumprir os passos necessários. Nada bom, não é? Para evitar isso, considere sua realidade financeira na hora de definir os planos.

É interessante pensar em objetivos de curto, médio e longo prazo. Você pode desejar, por exemplo, pagar um curso nos próximos meses, comprar um carro daqui a alguns anos e investir dinheiro para uma aposentadoria tranquila no futuro. É possível se planejar financeiramente para tudo isso, respeitando o prazo para realização de cada sonho.

Uma vez identificados seus desejos, especifique de que forma você pode chegar até eles. O que deve ser feito, por exemplo, para comprar uma casa? Defina por quanto tempo será preciso investir e qual valor mensal você deve empregar para isso. Assim, seus objetivos são transformados em metas, e você trabalha para conquistá-las.

3. Tenha um fundo de reserva

Fazer planos para o futuro é ótimo, mas o que você faria se precisasse de dinheiro para resolver um imprevisto hoje? Lembre-se: não vale desfalcar sua reserva da viagem de férias! Por isso, o ideal é sempre ter um valor guardado para emergências.

Assim, você fica mais confortável para realizar seus planos, já que tem um fundo próprio para custear gastos inesperados. É possível montar essa reserva aos poucos, juntando uma pequena porcentagem do seu salário todo mês.

Para garantir segurança e tranquilidade, o indicado é que a reserva de emergência tenha dinheiro suficiente para custear pelo menos seis meses dos seus gastos essenciais. Dessa forma, você poderá manter o equilíbrio financeiro até se passar por problemas maiores, como a perda de um emprego ou grandes custos com saúde.

4. Organize seus gastos

Até agora demos dicas para o estabelecimento de metas financeiras, mas e como alcançá-las? Definir objetivos costuma ser a parte mais prazerosa do processo. As dificuldades aumentam quando você precisa cumprir aquilo que colocou no papel. Afinal, isso envolve deixar algumas compras de lado agora para colher benefícios no futuro.

Esse é um desafio. Do contrário, não teríamos tantos brasileiros com as finanças desequilibradas. Portanto, para conseguir cumprir suas metas, comece organizando o orçamento. Em que você gasta seu dinheiro? Que custos podem ser cortados ou reduzidos? Como você pode economizar sem perder qualidade de vida?

Essas perguntas podem assustar muitas pessoas, mas é preciso encará-las. Experimente anotar todos os seus gastos mensais e analisar sua realidade financeira. Alguns aplicativos de celular facilitam essa tarefa e ajudam a acompanhar os gastos por categorias. Com essas informações, você vai ter uma ideia bastante precisa do seu orçamento.

Depois disso, é hora de calcular quanto você gasta com contas fixas e que valores podem ser destinados às suas reservas financeiras. Também é possível colocar em prática algumas estratégias de economia, como:

  • pedir desconto nas taxas do banco e nos serviços de celular ou internet;

  • cozinhar em casa para reduzir os custos com alimentação;

  • procurar programas de lazer gratuitos ou mais baratos.

5. Mantenha o compromisso

Não é incomum que as pessoas comecem sua organização financeira bastante motivadas, mas deixem de cumprir as metas depois de um tempo. Por que isso acontece? Há várias razões envolvidas. Pode acontecer dos objetivos estarem muito altos — fica inviável poupar mais de 50% do seu salário por muito tempo, por exemplo.

Outra justificativa comum para o descumprimento das metas é a dificuldade em manter o compromisso. Algumas pessoas não têm o hábito de juntar dinheiro e, por isso, acabam não conseguindo continuar na linha por muitos meses. Existem estratégias muito úteis nesses casos. O consórcio é uma delas.

Como garantir, por exemplo, que você reserve dinheiro todos os meses para comprar sua casa? Por ser um objetivo de longo prazo, o risco de se perder em alguma parte do caminho é maior. Mas não se você fizer um consórcio! Com ele, você se obriga a pagar parcelas mensais e está, na verdade, investindo esse dinheiro na aquisição de um imóvel. Não é ótimo?

Estabelecer e cumprir metas financeiras pode não ser uma tarefa simples. Mas com essas dicas você conseguirá organizar suas finanças e realizar seus projetos com mais tranquilidade. Vale a pena economizar hoje para desfrutar de um patrimônio maior e mais qualidade de vida no futuro!

Este post foi útil? Se você quer continuar construindo uma relação financeira mais saudável, fique no blog e leia sobre como investir com pouco dinheiro!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *