Por que é importante ter uma reserva de emergência?

A maioria dos brasileiros tem o péssimo hábito de gastar tudo o que ganham e não pensam em montar uma reserva de emergência para utilizar em caso de imprevistos. Se você faz parte desse grupo, talvez esteja na hora de repensar essa atitude.

A reserva é importante para manter a sua tranquilidade e o bem-estar da sua família em caso de situações inesperadas. Ainda não está convencido? Então, confira agora por que você deve ter uma reserva de emergência e como isso é possível!

Motivos para ter uma reserva de emergência

Os imprevistos fazem parte da vida e ter uma reserva de emergência pode te poupar muita dor de cabeça. Veja alguns bons motivos para começar uma reserva financeira agora mesmo!

Mais tranquilidade para enfrentar situações problemáticas

Este é o motivo mais óbvio para manter uma reserva: usá-las apenas em casos extremos. Perder o emprego, sofrer um acidente ou passar por uma doença grave já são situações muito desagradáveis.

Agora, imagina passar por tudo isso e ainda não ter condições financeiras de se sustentar? Para evitar que um problema desse tipo se torne ainda maior, manter uma reserva de emergência é a opção mais inteligente.

Segurança para a família

Não apenas você, mas também seus dependentes e demais familiares podem passar por situações emergenciais. Desde uma simples viagem que precise ser feita às pressas até uma situação grave, muita coisa inesperada pode acontecer.

Pensando nisso, a reserva também dá segurança e tranquilidade para sua família por saberem que sempre estarão amparados.

Patrimônio protegido

Você com certeza batalhou muito para ter sua casa, carro e todo seu patrimônio e não vai querer perder tudo que conquistou, não é mesmo? Porém, se você não tiver uma reserva de emergência, pode acabar tendo que vender algumas coisas para pagar eventuais dívidas.

Quando você tem que se desfazer de algo às pressas, muitas vezes ainda acaba tendo que vender por um preço bem abaixo do valor de mercado. Por isso, ter uma reserva para se sustentar por alguns meses pode fazer toda a diferença e proteger o seu patrimônio.

Evitar juros e empréstimos

Se você já precisou fazer um empréstimo ou mesmo um financiamento em algum banco, com certeza já se assustou com as altas taxas de juros cobradas. Não é à toa que os lucros dos bancos brasileiros continuam crescendo, ano após ano.

Se você não quer fazer parte dessa estatística, comece agora mesmo um fundo de emergência. Assim, você não precisará se render a esses empréstimos e financiamentos e terá tranquilidade para buscar alternativas mais justas.

Poder de negociação

Você provavelmente já sabe que pagar à vista é sempre a melhor opção, mas nem sempre é possível. Contudo, se você tiver uma reserva, fica bem mais fácil ter dinheiro disponível para negociar e conseguir reduzir preços.

Porém, não se esqueça: sempre que desfalcar a reserva, você deve priorizar a reposição do dinheiro o mais rápido possível.

Oportunidades de investimento

Você tem medo de deixar seu dinheiro parado? Pois saiba que a sua reserva de emergência não precisa ficar parada na poupança. Existem ótimas oportunidades de investimento que trazem segurança e boa rentabilidade.

Ao manter uma reserva, você terá liberdade para aproveitar as oportunidades de investimento que surgirem. Assim, você consegue investir sem comprometer a formação da sua reserva.

Boas práticas para criar uma reserva financeira

Agora que você já entendeu os benefícios de ter uma reserva financeira, vamos à prática. Veja algumas dicas para começar a poupar e formar a sua reserva de emergência!

Junte dinheiro de acordo com as suas despesas

Antes de começar, calcule as suas despesas mensais e inclua também os gastos de todos que dependem de você.

O seu objetivo deve ser juntar uma quantia que cubra, no mínimo, 3 meses das suas despesas totais. Mas esse é o tempo mínimo — 6 meses é um tempo razoável e 12 meses um cenário ideal.

Você também deve levar em conta outras variáveis para calcular o montante ideal. Por exemplo, um profissional autônomo precisa ser mais precavido do que um funcionário público.

Quem tem crianças em casa também deve se preocupar mais com a reserva financeira do que um casal sem filhos ou um jovem solteiro.

Seja realista

Se você já fez as contas e está pensando em juntar dinheiro o mais rápido possível, esta dica é muito importante: não se comprometa com uma meta que você não é capaz de bater.

Não diga que vai poupar 50% do seu salário se as suas despesas somam mais da metade dele. Se você começar a fugir da programação já nos primeiros meses, pode acabar perdendo a motivação e comprometer o seu plano de criar a reserva.

Portanto, seja realista! Corte as despesas desnecessárias e veja o quanto sobra para você guardar. Se comprometa com esse valor e siga o plano até o fim.

Não faça concessões a você mesmo

Uma reserva de emergência, como o nome já diz, deve ser usada apenas em situações emergenciais, que fugiram do seu controle. Se você fizer concessões toda vez que quiser gastar um pouco a mais, a sua reserva pode acabar desaparecendo.

É claro que você não precisa se privar de tudo que gosta de fazer e de comprar. Estabeleça um limite mensal para os gastos com lazer e compras e mantenha a disciplina.

Invista seu dinheiro sem prejudicar a reserva de emergência

Como já falamos, investir também é uma maneira de manter a sua reserva de emergência sem ter que se sacrificar demais. Existem diversas opções de investimento com boa liquidez, ou seja, você pode retirar o dinheiro em caso de emergências.

Se quiser adquirir um bem novo, como um carro ou um apartamento, a utilização do consórcio pode ser a melhor opção. Com ele, você consegue fugir dos juros, parcelar até 100% do bem e planejar melhor as suas compras. Assim, você consegue adquirir os itens que deseja sem comprometer a sua reserva de emergência.

Portanto, ter uma reserva é fundamental para garantir a manutenção do seu patrimônio e a segurança da sua família. Com planejamento, é possível conciliar reserva de emergência, investimento e consumo.

E aí, gostou das dicas? Quer saber mais sobre investimentos e finanças? Siga nossos perfis no Facebook e no Twitter e acompanhe as novidades!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *