Por que o consórcio é um investimento de baixo risco?

Quando se fala em investir dinheiro, muitas vezes o que vem à mente das pessoas são as aplicações financeiras. Mas há outra excelente opção de investimento: o consórcio.

Ele não é útil apenas como operação de compra de crédito ou de um bem. Você também pode usar essa estratégia para juntar e investir seu dinheiro. Uma das vantagens de utilizar o consórcio com essa finalidade é o fato de ele ser um investimento de baixo risco, em comparação com as demais aplicações.

Quer saber mais sobre isso? Então confira no post de hoje as razões que provam que o consórcio é uma boa escolha para fazer aportes mensais. Aqui, também daremos dicas para que você se prepare financeiramente para entrar em um. Aproveite!

Entenda por que o consórcio é um investimento de baixo risco

O valor da carta é corrigido anualmente

Um consórcio pode durar alguns anos, mas você não corre o risco de perder dinheiro por desvalorização da moeda ou inflação. Mesmo que o consorciado não utilize o valor da carta de crédito, o dinheiro será corrigido de acordo com os índices econômicos.

Assim, para que não seja desvalorizada, a carta é atualizada anualmente. O índice de mercado utilizado para essa atualização deve constar no contrato de consórcio. Esse cuidado garante que o contratante não perderá dinheiro conforme o tempo passar.

O valor do ativo não flutua

Quem investe em outras opções, como na bolsa de valores, assume o perigo de perder dinheiro pela flutuação da economia. O fato de um ativo ter seu valor reduzido por aspectos internos e externos a ele recebe o nome de risco de mercado, o que não existe em consórcios.

Na bolsa de valores, o valor dos ativos comprados flutua conforme o mercado, o cenário político-econômico e a situação da empresa vendedora das ações. Ao contrário, quem investe em consórcio tem um investimento de baixo risco, pelo fato do prêmio não flutuar.

As únicas alterações que ocorrem com o valor, como vimos, são as correções para que ele não perca o poder de compra perante a inflação.

O risco operacional pode ser eliminado

O risco operacional está ligado a falhas ou fraudes ocorridas na operação escolhida. Em um consórcio, isso poderia ser, por exemplo, o risco de a administradora ficar com o dinheiro dos consorciados, cortar os canais de comunicação e não pagar os prêmios, desaparecendo com o valor arrecadado.

O consumidor brasileiro está protegido contra isso pelo Banco Central do Brasil. Ele regula e fiscaliza as empresas administradoras de consórcio. Por isso, antes de investir, você deve verificar sempre se a empresa está ligada à Associação Brasileira de Administradoras de Consórcios (ABAC) e apresenta autorização para operar.

Essas credenciais indicam que ela atende a todas as normas impostas às administradoras e é confiável. Checar a legalidade da empresa é muito simples: basta uma pesquisa no site do Banco Central.

Não há como perder o direito financeiro adquirido

Um investimento de baixo risco, além de outras características, deve deixar o investidor seguro de que não perderá dinheiro. Em um consórcio, a única maneira de isso ocorrer é com o consorciado quebrando o contrato e desistindo do direito ao prêmio.

Se o contrato se mantém e todos os pagamentos são realizados normalmente, há a garantia de recebimento do prêmio. Em um sorteio de contemplação, quando o contratante der o maior lance ou chegar ao fim dos pagamentos, o valor corrigido estará disponível na íntegra.

É uma poupança programada

Além de ser usado como uma compra planejada, o consórcio também pode servir simplesmente como uma forma de poupar dinheiro. Se esse é o seu objetivo, basta optar por não participar dos sorteios em assembleias e não dar lances para a obtenção antecipada do prêmio.

Dessa forma, você faz um investimento de longo prazo. Assim, pode usar o dinheiro para, posteriormente, ter uma aposentadoria tranquila, aumentar seu patrimônio, investir em outro ativo ou pagar algo de alto valor para os filhos, como um carro, faculdade ou imóvel.

Não existe o risco de perder dinheiro tomando uma decisão errada

Aplicações financeiras muitas vezes exigem que o investidor estude bastante e tenha uma estratégia. Do contrário, ele pode tomar alguma decisão errada e acabar tendo perdas relevantes.

Então, outra vantagem do consórcio é seu funcionamento simples. Você não precisa aprender profundamente sobre mercado financeiro e investimentos, basta pagar as mensalidades em dia. Assim, você já estará juntando uma boa reserva de dinheiro para seus objetivos futuros, sem perigo de perdas financeiras.

O custo é baixo

Existem alternativas de investimentos que prometem um bom retorno financeiro. Entretanto, essas opções geralmente apresentam um custo muito alto, principalmente para quem está buscando algo de curto prazo. Em contraponto, o consórcio se mostra vantajoso, pois há cartas de crédito de diversos valores.

Assim, você pode analisar seu orçamento e escolher a melhor opção para suas possibilidades financeiras. Mesmo que o valor do prêmio seja alto (para quem está adquirindo um veículo ou imóvel, por exemplo), ele é dividido em parcelas de baixo custo mensal.

O consórcio reduz o risco de o comprador fugir do planejamento

A liquidez de um investimento ou consórcio é a capacidade de a operação ser convertida em dinheiro. No caso do consórcio, a liquidez é baixa, pois a tomada da carta de crédito se dá apenas por sorteio ou finalização de todos os pagamentos, o que geralmente ocorre no longo prazo.

Portanto, é improvável que o investidor liquide sua operação e pegue o valor total para outro objetivo que não aquele inicial, fugindo do planejamento. Isso porque é mais difícil contar com o prêmio do que, por exemplo, encerrar uma aplicação financeira ou transferir o valor mantido em uma conta de banco.

É claro que existe a possibilidade de o comprador do consórcio dar um lance para pegar a carta de crédito logo nos primeiros meses da compra. Mas ainda é um processo mais complexo do que fazer um encerramento ou uma transferência. O comprador pode eliminar essa ação de suas possibilidades.

Saiba como se planejar para entrar em um consórcio

Agora que você já conhece todas as vantagens de um consórcio, prepare-se para aproveitar os benefícios desse investimento. Que tal receber algumas dicas práticas sobre como se planejar para adquirir uma carta de crédito sem correr riscos de instabilidade financeira? Acompanhe a seguir!

Tenha um planejamento financeiro familiar

Antes de fazer qualquer investimento, mesmo que seja de baixo risco, você precisa se organizar financeiramente. Planejar o orçamento familiar é essencial para ter saúde financeira e conseguir aumentar seu patrimônio sem grandes dificuldades. Afinal, manter a estabilidade é indispensável.

Assim, se você ainda não controla seu orçamento, comece registrando tudo relacionado ao seu dinheiro. Isso pode ser feito em uma agenda, em programas de computador ou aplicativos de finanças pessoais. Anote quanto você tem de renda, contas fixas e gastos variáveis.

Se você já desenvolveu esse hábito, ótimo! Agora é o momento de analisar as contas e verificar quanto da sua renda está livre para fazer investimentos. É preciso organizar isso com cuidado, para fugir do perigo de se comprometer com parcelas que vão além das suas condições.

Corte gastos e economize

Sempre é possível economizar e enxugar o orçamento, por mais que pareça difícil. Reflita sobre os gastos que você registrou e tente perceber contas que podem ser cortadas ou, pelo menos, reduzidas.

Você precisa mesmo conservar todos os seus gastos fixos? A TV por assinatura, por exemplo, está sendo bem aproveitada? E os seus planos de celular e internet, podem ser substituídos por outros mais econômicos? Além dessas mudanças, você também pode economizar pedindo isenção das taxas da sua conta-corrente e do cartão de crédito.

O mesmo deve ser feito em relação aos gastos supérfluos. As saídas em família podem ser substituídas por programas gratuitos ou mais baratos, como um piquenique no parque ou uma sessão de cinema em casa.

Outro ponto que oferece muita economia é a alimentação: realizar as refeições em casa sai muito mais barato do que comer em restaurantes.

Cortar gastos é uma ótima maneira de economizar dinheiro para investir em um consórcio. Você pode abrir mão de algumas compras hoje para conquistar um patrimônio amanhã.

Monte uma reserva de emergência

Antes de pensar em acumular dinheiro e investir, é importante planejar a sua poupança de emergência. O objetivo é contar com um valor guardado para assegurar sua estabilidade financeira se algum evento crítico acontecer — como a perda de um emprego ou gastos imprevistos.

Quem tem uma reserva de emergência garante que o investimento no consórcio continue em dia, mesmo diante de dificuldades financeiras. Assim, ter esse dinheiro reservado é fundamental para passar bem por momentos difíceis.

Estabeleça uma meta mensal, mesmo que pequena, e tire esse valor da sua conta-corrente. Uma pequena parcela do seu salário já serve como início da reserva. Deposite um pouco todos os meses e deixa o dinheiro guardado. Comprometa-se a utilizá-lo apenas em momentos de emergência — você deve resistir à tentação de sacar o valor sempre que um desejo de consumo aparecer.

Escolha uma carta de crédito que caiba no seu bolso

Uma vez que você tenha organizado todo o seu orçamento e saiba o valor que pode comprometer em um investimento de baixo risco, é hora de realizar uma boa pesquisa e escolher a melhor opção entre as alternativas oferecidas pelas empresas.

Para decidir, você precisa avaliar as suas necessidades e possibilidades financeiras. Além do valor da carta de crédito e das parcelas a serem pagas, não se esqueça de analisar o tempo de duração do consórcio.

Você deve pensar no futuro: hoje em dia a parcela não parece alta, mas como estarão as suas finanças daqui a alguns anos? Se você planeja ter filhos, por exemplo, deve saber que o orçamento familiar vai mudar quando eles nascerem.

Assim, é importante ter clareza de que o consórcio é um investimento de longo prazo. Por isso, não é prudente comprometer grande parte da renda nele. Se for sua vontade, você pode começar com valores mais baixos e adquirir cartas de crédito maiores no futuro.

Programe-se para honrar os pagamentos

O consórcio é um investimento planejado. Ou seja, todos os meses você terá que realizar aquele pagamento. Dessa forma, ele é uma boa opção para as pessoas que não conseguem ter disciplina para juntar dinheiro por conta própria.

Mas isso também quer dizer que é preciso estar atento para deixar todos os pagamentos em dia. A mensalidade do consórcio é como qualquer outra conta: precisa ser honrada, ou será necessário arcar com juros e penalidades.

Caso contrário, além de perder dinheiro pagando multa e taxas por atraso de pagamento, a pessoa fica impedida de participar dos sorteios e receber a contemplação antecipada. Por isso, acompanhe de perto a data das parcelas e dê sempre prioridade para esse pagamento.

Se você tem dificuldade para controlar as suas contas, procure novas estratégias de organização. Fixar um calendário com os dias de vencimento em um local visível é uma boa dica. Além disso, é possível colocar o fechamento de todas as contas em datas próximas e usar aplicativos para fazer o controle dos pagamentos.

Escolha com cautela o patrimônio que será adquirido

Outro aspecto importante que você precisa considerar para utilizar o consórcio é quanto à escolha do bem. Ao fim dos pagamentos (ou caso seja contemplado antes) você vai receber uma carta de crédito para realizar a compra de determinado produto ou serviço.

Essa escolha será baseada nos seus desejos e necessidades, mas é preciso esperar o momento certo para cada aquisição. Sua família pode não ter condições de entrar em um consórcio de imóveis ainda, por exemplo. Nesse caso, adquirir a cota de uma moto ou um carro é a melhor opção.

Dentro de uma mesma categoria há diversos produtos, e isso também deve ser considerado. Se o seu objetivo é economizar e aumentar seu patrimônio de forma planejada, comprar um veículo seminovo ou popular, por exemplo, é melhor do que adquirir um carro zero ou importado.

Procure dar passos cuidadosos, de acordo com o que você tem condição de fazer no momento. Para que o consórcio seja utilizado como forma segura de investir, essa atenção é importante.

Ao entrar em um consórcio, você aproveita uma opção de investimento de baixo risco e bom retorno. Com ele, é possível juntar dinheiro, aumentar o patrimônio familiar e manter a saúde financeira. Sem dúvida, é uma ótima alternativa para realizar projetos de longo prazo.

E então, está animado para se beneficiar com as vantagens do consórcio? Então, leia nosso post e saiba como acertar na escolha da administradora!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *