Quanto custa um consórcio? Descubra aqui!

O consórcio é uma excelente opção para pessoas que desejam adquirir um bem, mas querem fugir da cobrança dos juros altos que um financiamento gera. Porém, é preciso ter em mente que, mesmo sendo mais em conta, essa modalidade também apresenta algumas taxas que precisam ser pagas ao longo do tempo.

Pensando nisso, elaboramos o post de hoje para explicar quanto custa um consórcio, quais gastos são esses e também quais retornos um consorciado pode ter — além da contemplação, é claro! Continue acompanhando a leitura para saber um pouco mais sobre o assunto.

Como funciona um consórcio?

De forma resumida, podemos dizer que um consórcio é um sistema no qual pessoas físicas ou jurídicas se reúnem a fim de adquirir bens por meio de um parcelamento. Porém, sem juros e com uma mensalidade menor que a dos financiamentos tradicionais.

A contemplação pode acontecer por meio de sorteio ou por lance, e o consorciado pode optar por retirar a carta de crédito ou aplicar o dinheiro por intermédio da administradora — o que é uma boa opção para quem ainda não precisa do bem, já que é possível obter um rendimento financeiro bem satisfatório.

Uma das grandes vantagens dessa modalidade é que o consorciado pode usar o crédito da forma como achar melhor. Isso quer dizer que se ele quiser comprar um bem de valor inferior e usar o resto do dinheiro em outras coisas, é possível. Ou então, também pode optar por fazer duas aquisições de menor valor, por exemplo. Depois que a contemplação é realizada, o participante tem essa flexibilidade.

Afinal, quanto custa um consórcio?

Existem alguns custos que podem ocorrer em um consórcio. Porém, é preciso avaliar antes com a administradora, visto que alguns deles, em certos casos, nem chegam a ser cobrados — o que é ainda mais vantajoso. 

Nos tópicos a seguir, explicaremos sobre os custos mais comuns praticados no mercado atualmente. Vamos conhecê-los?

Taxa administrativa

É por meio dela que a administradora do consórcio é remunerada. Os percentuais variam de empresa para empresa, portanto, é preciso verificar com um consultor qual é esse custo. Caso queira, a informação também pode ser obtida no Banco Central.

Taxa de adesão

Em alguns casos, ela nem chega a ser cobrada, mas também deve ser considerada como um custo provável do consórcio. Os percentuais variam entre:

Ela é cobrada apenas uma vez (na primeira mensalidade ou no ato da contratação) e precisa estar especificada no contrato. No caso do consórcio de um imóvel, por ser um valor mais alto, pode ser dividida nos três primeiros pagamentos.

Fundo de reserva

O fundo de reserva também é outra taxa que pode variar entre as administradoras. Pode custar entre 2% e 5% do valor do bem. Ele é utilizado para cobrir possíveis furos no caixa em caso de desistência ou inadimplência de algum participante.

Caso haja algum saldo remanescente no final do contrato, ele será devolvido para o consorciado. Vale lembrar que a empresa que realiza essa cobrança deve prestar contas quanto à forma como esse fundo é gasto.

Correção do valor das parcelas

A administradora é quem define o critério que será utilizado para fazer a correção, que pode ser algum índice de preço ou o valor sugerido pelo fabricante, por exemplo. Esse ajuste é necessário para que o consórcio acompanhe a inflação e, dessa forma, os participantes contemplados não percam o poder de compra no final.

Sempre que o crédito é corrigido, as mensalidades também sofrem atualização, de acordo com a regra estabelecida em contrato. Vale lembrar que essa correção também pode acontecer para menos, ou seja, é possível que o valor das parcelas fique menor depois do reajuste.

Mesmo depois da contemplação, as mensalidades vão continuar sendo corrigidas, visto que os outros participantes que não foram sorteados também precisam da garantia de que o crédito será atualizado.

Seguro

Outro possível custo do consórcio é o pagamento de um seguro. Algumas administradoras preferem fazer seguro de vida ou por quebra de garantia. Porém, isso só pode ser feito por meio da aprovação dos consorciados durante a assembleia de formação do grupo.

O seguro por quebra de garantia tem como objetivo cobrir a falta do consorciado ou do bem. Assim, se o automóvel for roubado e o participante ainda não tiver contratado um seguro, é esse recurso que ajudará a cobrir o prejuízo. As taxas normalmente não chegam a 0,10% do valor das prestações.

Quais retornos o consórcio dá a um participante?

Após a contemplação, o consorciado tem até o encerramento do grupo para utilizar o crédito obtido. Caso opte por deixar o dinheiro investido, é feita uma aplicação em alguma modalidade aprovada pelo Banco Central e, assim, o participante pode contar com rendimentos líquidos.

Essa rentabilidade começa a contar a partir do terceiro dia útil depois da contemplação e termina no último dia útil antes do crédito ser resgatado. Vale lembrar que quem escolhe os tipos de investimentos são os consorciados, e isso ocorre na primeira assembleia do grupo.

É importante ressaltar que a atualização do valor do crédito ocorre até a data em que o participante é contemplado, e é só a partir daí que se usa o crédito para obter os rendimentos financeiros.

Sendo assim, de maneira geral, podemos dizer que apostar em um consórcio é uma excelente opção para adquirir um bem. Entre os principais benefícios dessa modalidade, podemos citar:

  • custo inferior ao de um financiamento;
  • aumento do poder de compra (já que o bem pode ser pago à vista);
  • possibilidade de negociar descontos;
  • não há necessidade de oferecer algum valor de entrada;
  • atualização dos valores dos bens;
  • flexibilidade no uso do crédito;
  • possibilidade de conseguir bons rendimentos financeiros.

Saber quanto custa um consórcio é fundamental para compreender quais gastos você terá antes e durante sua participação. Apesar disso, podemos dizer que ele ainda fica mais em conta do que realizar um financiamento em bancos, por exemplo. Além dessa grande vantagem do custo inferior, existem diversos outros benefícios para um consorciado, como você pôde ver. 

O que achou deste post? Quer saber melhor como funciona um consórcio e qual é o plano ideal pra o seu bolso? Então entre em contato conosco agora mesmo e tire todas as suas dúvidas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *