Reajuste de consórcio: entenda como ele funciona na prática

O reajuste de consórcio é realizado ao longo do tempo, de forma a garantir que o valor do crédito adquirido tenha a mesma correspondência de compra quando o consorciado for contemplado. Assim, mesmo que o valor do bem seja alterado, a carta de crédito ainda será suficiente para a aquisição.

Neste artigo vamos tratar mais dessa alteração de valores, como ela afeta o prêmio e as parcelas a serem pagas, as regras que devem ser seguidas pela administradora e citar um exemplo prático de como o ajuste funciona.

Quer saber um pouco mais sobre o assunto? Então, continue conosco e confira agora mesmo!

O processo e os prazos do consórcio

O consórcio se inicia quando um grupo de pessoas está interessado em adquirir determinado bem. A partir dessa reunião, cada membro (chamado de consorciado) realiza contribuições mensais para a formação de um valor em caixa, que será utilizado para que os participantes consigam comprar um veículo ou imóvel, por exemplo.

O pagamento é individual, por tempo determinado previamente. Com a soma das parcelas se chega a um valor suficiente para comprar o bem desejado, especificado no contrato de adesão. Os direitos de aquisição são distribuídos por meio de sorteio, lance ou encerramento do grupo.

O funcionamento do reajuste dos valores

A economia está em constante transformação, sofrendo inflação ou deflação, aumento ou queda nos preços, o que altera o poder de compra dos consumidores. É a partir dessa premissa que o reajuste de consórcio precisa ser feito, garantindo que, mesmo com as oscilações, o consorciado possa adquirir o bem desejado.

A alteração pode ser feita com base no mês de aniversário da cota (anualmente) ou em uma assembleia, dependendo do que foi acordado no contrato de adesão. O ajuste é calculado de acordo com a tabela do fabricante e a tabela Fipe, para carros e motos, ou de acordo com o INCC, para imóveis.

Sendo assim, podemos dizer que a administradora do consórcio define uma regra de reajuste (com base em um dos índices citados), e o novo valor da parcela será suficiente para garantir que a carta de crédito atenda aos objetivos do consorciado.

As regras e os direitos do consumidor

O reajuste no crédito, vale lembrar, é feito com base nas regras que foram estabelecidas no contrato, ou seja, cada administradora pode adotar um critério — tanto para as datas da alteração quanto para o preço (que pode acompanhar índices econômicos) — ou a sugestão da montadora, no caso de veículos, gerando alteração sempre que surgir um novo preço.

Quando o valor do crédito é corrigido, automaticamente as prestações também são ajustadas de acordo com a regra adotada pela administradora. Porém, é preciso deixar claro que essa variação pode ocorrer tanto para mais quanto para menos, ou seja, não significa, necessariamente, que os ajustes só serão de aumento.

Outro ponto que vale a pena destacar é que, mesmo depois que o consorciado é contemplado, a correção também abrange as parcelas que ainda serão pagas. A ideia é garantir que o grupo tenha recursos suficientes para sustentar o crédito para os outros integrantes que ainda não foram contemplados.

Quando uma carta de crédito é contemplada, o participante pode utilizar o crédito até o encerramento do grupo. Até lá, o valor é aplicado em algum aporte financeiro e proporciona rendimentos, somados ao montante. Essa rentabilidade é garantida até o último dia útil em que o crédito for utilizado, e o tipo de aplicação a ser utilizada é escolhido na assembleia geral.

O rendimento financeiro só começa a valer a partir da data da contemplação, ou seja, se o crédito só for usado após dois anos da contemplação o consorciado receberá o valor equivalente ao crédito (já atualizado, se for o caso) mais os rendimentos alcançados durante esse período.

Todas as informações devem estar explícitas no contrato de forma bem clara e objetiva, estabelecendo o período de reajuste, os índices utilizados e a divulgação de novas tabelas de preços (no caso de ajuste para o valor de veículos).

Exemplo prático de reajuste de consórcio

Para entender melhor como funciona o reajuste na prática, vamos explicar usando alguns valores fictícios, mas que ajudam a entender como o cálculo é feito.

Supondo que o critério usado para calcular o reajuste seja o índice acumulado nos últimos 12 meses, temos:

Data inicial: 1.º de julho de 2016

Valor do crédito adquirido: R$ 50.000,00

Valor das prestações: R$ 491,50

A atualização do crédito e das prestações será feita sempre no mês de julho, aplicando o percentual do índice adotado:

Índice (INCC para imóveis e tabela Fipe ou reajuste do fabricante, para veículos) acumulado de julho/2016 a junho/2017: 6%

Valor do crédito atualizado: (valor do crédito + porcentagem acumulada): R$ 53.000,00

Valor atualizado das prestações: R$ 520,99

Dessa forma, se o consorciado for contemplado após o reajuste, ele receberá o valor de R$ 53.000,00, mesmo que o valor contratado inicialmente tenha sido de R$ 50.000,00. Por outro lado, o valor das parcelas passa de R$ 491,50 para R$ 520,99.

Pode haver casos em que o valor do crédito e o das prestações também diminuam, o que ocorre nas seguintes situações:

  • quando o índice acumulado no ano é negativo;

  • quando há redução do preço de mercado do bem.

Isso quer dizer que falar em reajuste não é sinônimo de aumento nos valores. Em períodos de deflação, por exemplo, é bem possível que os preços sofram queda, fazendo com que o ajuste seja a menor.

O reajuste de consórcio, como podemos ver, é um processo natural, que ocorre de tempos em tempos. O objetivo é garantir que o consorciado receba um valor equivalente ao bem ou serviço que está sendo adquirido, seja para mais, seja para menos.

Isso é uma maneira de evitar que a inflação, por exemplo, desvalorize a moeda e diminua o poder de compra do participante no momento em que ele for contemplado.

O que achou deste artigo? As suas dúvidas sobre o assunto foram esclarecidas? Aproveite e entre em contato com o Consórcio Minasmáquinas para saber mais sobre os consórcios disponíveis e como eles podem atender às suas necessidades!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *