Saiba como usar o FGTS no consórcio e realize seu sonho

Muita gente não sabe, mas é possível utilizar o FGTS no consórcio de imóveis. Essa é uma boa opção para quem quer oferecer um lance ou usar o dinheiro extra para quitar parcelas. Assim, o consórcio fica ainda mais vantajoso!

Ele já é um ótimo investimento e tem ajudado muitas pessoas a realizar os seus sonhos. Desde 2009, com a autorização de uso do FGTS, ficou mais fácil entrar em um sistema de consórcios e adquirir um bem de forma planejada e sem o pagamento de juros. Quer saber mais? Acompanhe as informações que trouxemos neste post especial!

Quando usar o FGTS no consórcio?

O FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) é uma conta que protege o trabalhador em um contrato empregatício. É um direito que o governo brasileiro concede a todos que trabalham em regime de carteira assinada. O empregador é obrigado a depositar todo mês nessa conta um valor referente a 8% do salário do funcionário.

Com o FGTS, o trabalhador fica mais seguro para enfrentar uma demissão, já que pode sacar esse dinheiro. Também há outros momentos em que o saldo dessa conta pode ser usado:

  • término de contrato temporário;

  • aposentadoria (ou quando o titular tem 70 anos ou mais);

  • necessidade causada por desastre natural;

  • falecimento do titular;

  • necessidade devido à doença terminal do titular ou seu dependente;

  • compra de moradia própria, pagamento de parte ou liquidação das prestações de financiamento;

  • liquidação ou pagamento parcial das prestações de um consórcio imobiliário.

A última opção é a que tratamos neste post. Você pode utilizar o seu saldo do FGTS para pagar seu consórcio de imóveis. Se você já está participando de um grupo de consórcio, por exemplo, pode usar esse dinheiro para ofertar um lance (apresentando seu extrato à administradora do consórcio).

Quem já foi contemplado com a carta de crédito também pode usar o dinheiro para complementar o valor do consórcio. Vamos imaginar que você tem uma carta de R$ 120 mil, mas está interessado por um imóvel que vale mais do que isso — pode sacar o FGTS para juntar os dois valores e adquirir sua casa ou apartamento.

Além disso, o Fundo de Garantia também ajuda no restante das prestações de quem foi contemplado. Se você já comprou o seu imóvel e ainda está pagando a cota do consórcio, pode utilizar o FGTS para antecipar o pagamento, liquidar todo o saldo devedor ou pagar parte (até 80%) de cada parcela por um ano.

O saldo pode ser utilizado novamente para abater parcelas, mas apenas depois de dois anos do primeiro uso. E atenção: se você tem mensalidades em atraso também pode recorrer ao FGTS para pagar, mas há um limite máximo de três parcelas.

Como é feito o processo?

Você se encaixa em alguma das opções acima e ficou interessado em saber como funciona para fazer uso do seu Fundo de Garantia? O primeiro passo é ter certeza de que a administradora do seu consórcio é regularizada junto ao Banco Central. Depois, entre em contato com ela para saber como incluir seu FGTS nos pagamentos.

Em algumas situações, a própria administradora do consórcio pode realizar o uso do FGTS. É o caso de você optar pela liquidação ou abatimento de prestações. Em outros casos, é preciso a mediação de um banco — por exemplo, para fazer um lance ou usar o dinheiro para complementar a carta de crédito.

Quem tem direito?

Fique atento aos requisitos que você precisa cumprir para exercer seu direito de utilizar o FGTS no pagamento de consórcio imobiliário:

  • ter o consórcio e a conta do FGTS no mesmo titular;

  • ter pelo menos 3 anos de depósitos no Fundo de Garantia (podendo ser de empresas diferentes);

  • não ter em seu nome um financiamento imobiliário ativo;

  • adquirir um imóvel residencial e urbano que fique na cidade em que você trabalha ou em municípios limítrofes;

  • registrar o imóvel no nome do titular da conta do FGTS;

  • não ser dono de outro imóvel na mesma cidade em que trabalha;

  • comprar um imóvel concluído ou ainda em construção;

  • respeitar o limite máximo de preço do imóvel para utilização do FGTS.

Em resumo, se você está no consórcio para comprar o seu primeiro imóvel e não vai utilizar a carta de crédito para quitar um financiamento anterior, está apto a utilizar o FGTS. Atente para a necessidade do contrato de consórcio ser no seu nome, assim como a conta do Fundo de Garantia. Não é possível utilizar, por exemplo, o saldo do seu cônjuge — a menos que o consórcio também esteja no nome dele.

Quem já tem outros imóveis ou está adquirindo um estabelecimento comercial não pode utilizar o Fundo de Garantia. Da mesma forma, quem adquiriu uma casa concluída não é autorizado a sacar o FGTS para realizar uma reforma. Por fim, informe-se com o governo do seu estado sobre o valor máximo do imóvel para utilização do saldo.

Quais são as vantagens de fazer isso?

Os benefícios do consórcio você já conhece: é um investimento de baixo risco, permite que você se programe sem comprometer seu orçamento e realize seus sonhos com planejamento, se livrando dos juros exorbitantes de um financiamento. Sem dúvida, ele é a melhor opção para quem quer adquirir um imóvel e oferecer mais qualidade de vida para a família.

Com a possibilidade de utilizar o FGTS, o consórcio fica ainda mais vantajoso. Afinal, nada mais justo do que você colher os frutos de todos os seus anos de trabalho e poder realizar o sonho da casa própria, não é?

Aproveitando esse direito, você utiliza um valor que estaria parado na conta do banco para conquistar seu sonho. É possível aliviar os pagamentos e quitar a cota mais rapidamente, ou utilizar o dinheiro para adquirir um imóvel com padrão acima do que a sua carta de crédito poderia proporcionar.

Fazer uso do FGTS no consórcio é uma ótima ideia. Informe-se no banco e na administradora do consórcio e usufrua desse saldo. Assim, você conta com uma maior organização financeira e a realização do seu sonho fica ainda mais fácil!

Agora que você já tem essas informações, continue aqui no blog e veja nossas 6 dicas para acertar na escolha do primeiro imóvel!

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *