Siglas dos consórcios: saiba agora tudo sobre os principais termos!

Você já conhece todas as principais siglas dos consórcios? Se deseja adquirir uma cota e ingressar nesse sistema, precisa compreendê-lo totalmente para aumentar a segurança de realizar esse investimento, certo?

É por isso que criamos este post. Aqui, você terá a oportunidade de tirar várias dúvidas sobre essa modalidade de compra e ainda verá informações detalhadas e relevantes sobre o processo.

Desse modo, pode se programar financeiramente, entender como funciona um consórcio de carro ou casa, garantir o seu futuro e o de seus filhos, além de construir um patrimônio sólido ao longo dos anos. É o que pretende? Então, confira as principais informações sobre o tema que apresentamos a partir de agora!

Afinal, como funciona um consórcio?

O consórcio é uma modalidade de compra programada, na qual você faz um investimento como uma forma de autofinanciamento. Por meio dele, você pode adquirir um bem, como carros e imóveis, ou um serviço, como casamento, plástica, viagens etc.

A participação no consórcio está condicionada à aquisição de uma cota. A partir disso, você ingressa em um grupo, que realiza sorteios pelo menos uma vez por mês. Da mesma forma, precisa fazer o pagamento mensal de uma parcela, de acordo com o contrato firmado — que estabelece a duração do plano e suas características.

Os valores repassados à administradora são colocados em um fundo comum, que é compartilhado por todos os participantes. Essa poupança é utilizada para adquirir o bem ou serviço, de acordo com a ordem definida por sorteio ou lance — duas formas de tentar antecipar a contemplação da carta de crédito. 

Isso significa que, a partir do momento que ingressa em um grupo, você tem a oportunidade de utilizar o crédito para fazer a compra do bem desejado antes mesmo de terminar de quitá-lo. No caso do sorteio, você tem as mesmas condições que os outros participantes. No lance, você oferece um percentual de pagamento à vista para aumentar suas chances de contemplação.

Assim que receber a sua carta de crédito, que corresponde ao dinheiro à vista, é possível escolher o bem ou o serviço, que deve estar enquadrado na categoria do seu grupo. Ou seja, se foi adquirido um consórcio de carros, não é possível comprar um imóvel com esse montante.

Por ter poder de compra, as possibilidades de negociação são maiores. Assim, fica mais fácil garantir alguma condição especial, como um brinde ou um desconto significativo. É importante mencionar que, mesmo ao antecipar a contemplação do consórcio, é necessário quitar as parcelas até o encerramento do plano.

Consórcio e economia colaborativa: o que é?

Como você pôde perceber pelo funcionamento do consórcio, essa aquisição de bens tem como propósito unir pessoas físicas ou jurídicas com um objetivo em comum. Na prática, isso representa a contribuição de todos no intuito de alcançar um bem material ou um serviço desejado.

É aí que entra o conceito de economia colaborativa. Um grupo de consórcio — por contar com pessoas que visam ao mesmo interesse e que compartilham recursos de forma justa e equilibrada — é um ecossistema social e econômico que enfatiza o benefício da coletividade, em vez do individual.

Assim, o trabalho conjunto, com o consequente pagamento das parcelas, forma a reserva necessária para que todos tenham acesso ao seu bem e transformem seu sonho em realidade. Automaticamente, a pessoa também se beneficia, porque consegue construir seu patrimônio sem colocar em risco o que já tem, além de vencer possíveis crises pelas quais passe durante o tempo de vigência do contrato de consórcio.

Nesse contexto, as principais vantagens da relação do consórcio como economia colaborativa são as que apresentamos abaixo.

Redução de custos

Quando você ingressa em um grupo para comprar determinado bem, compartilha seus interesses com outras pessoas. Todos se ajudam para adquirir o bem desejado, mesmo sem ter o dinheiro para comprá-lo à vista. Por isso, é possível antecipar a contemplação, já que o fundo comum custeia esse adiantamento. Além disso, o consórcio está isento de cobrança de juros — o que incide é a taxa de administração.

Consumo consciente

Certamente, você já viu notícias que retratam os impactos do consumo desenfreado pela sociedade. A economia colaborativa preza o oposto, já que visa à consciência de todos para adquirir o que for necessário. Isso implica planejamento para a compra do bem, sem assumir compromissos que estão além de suas possibilidades. Com o consórcio, você ainda cria o hábito de poupar e de reservar parte da sua renda para formar um patrimônio.

Colaboração

Tanto a economia colaborativa quanto o consórcio preveem o pensamento em grupo, não individual. Os participantes precisam adquirir o hábito de pagar em dia as prestações para que não sejam prejudicados e nem afetem os demais integrantes. Essa regra da solidariedade coloca a máxima da cooperação para que todos criem o senso de responsabilidade.

Para ter uma ideia, a economia colaborativa está tão em alta que a previsão é que sejam gerados US$335 bilhões ao ano em 2025, conforme o estudo The Sharing Economy. Esse conceito também é impulsionado pelas redes sociais e pelo aumento do uso da internet e dos dispositivos móveis. Portanto, é um bom negócio!

Como saber se o consórcio é uma boa opção?

A decisão por ingressar em um grupo deve ser baseada nos seus propósitos e nas características dessa modalidade de aquisição de bens. É preciso ter certeza de que essa é a melhor opção de investimento para o seu caso, a fim de evitar imprevistos.

Apesar de todos os benefícios do consórcio — como a ausência de taxa de juros, as parcelas mais flexíveis e a isenção de pagamento de entrada —, é preciso considerar outros aspectos que influenciam a sua compra. Os principais estão listados a seguir.

Funcionamento do consórcio

Essa modalidade prevê uma compra planejada, que tem características diferentes do financiamento. Você não comprará sua casa ou apartamento de maneira imediata para, só então, pagar as parcelas. Primeiramente, precisa esperar ser sorteado ou tentar antecipar sua contemplação através de um lance (que deve ser o mais alto para ser o vencedor). 

Por outro lado, a taxa de administração é muito menor que os juros comumente cobrados em um financiamento. Além disso, a carta de crédito representa dinheiro em mãos, isto é, a compra do bem é feita como se fosse à vista. Por isso, você tem maior poder de negociação.

Carta de crédito

A carta de crédito é o documento que indica a sua participação no grupo. Ela está vinculada a um bem ou a determinado valor. Por exemplo: ela pode equivaler a R$300 mil ou a um automóvel da marca X, modelo Y e ano 2018. É ela que permitirá comprar a sua casa ou carro como se fosse à vista.

No entanto, lembramos que isso só pode acontecer após ser sorteado ou ter seu lance escolhido. Com a carta de crédito, você poderá escolher qualquer bem do segmento escolhido, de qualquer marca e modelo, independente do bem vinculado à sua carta.

Lance embutido

O lance embutido é uma das formas de antecipação da contemplação, mas, nesse caso, você está sem o dinheiro para fazer a oferta. A ideia é utilizar parte do valor da carta de crédito para pagar a antecipação, caso a sua proposta seja escolhida. 

Apesar de ser uma boa alternativa para quem deseja conquistar um produto ou serviço rapidamente, o lance embutido implica a redução do valor disponível para adquirir o bem. Por exemplo: se você tem uma carta de crédito de R$100 mil e oferece 20% dela nesse formato, receberá somente R$80 mil (R$100 mil – R$20 mil).

Se você acredita que é a melhor solução para o seu caso, entenda exatamente como funciona e questione a administradora sobre outros encargos ou detalhes que devem ser conhecidos. 

Prazo de duração

O ideal é ter certeza de em quanto tempo será necessário pagar as parcelas do consórcio, a fim de se planejar financeiramente durante esse período. A duração varia de acordo com o bem adquirido. Geralmente, vai de 50 a 100 meses para carros e até 240 meses para imóveis, por exemplo.

Contrato de adesão

Esse documento é um dos mais importantes ao comprar uma cota e ingressar em um grupo. Nele, deverão constar todos os direitos e deveres da administradora e do consorciado, assim como encargos e possíveis correções e juros que devem incidir sobre as parcelas.

Por exemplo: o valor da carta de crédito geralmente sofre ajuste anual, de acordo com algum indicador, até para permitir poder de compra pra quem for contemplado no final do plano. O contrato de adesão também protege contra fraudes e golpes, porque legaliza o processo. 

Esses cuidados já evidenciam a importância de conhecer as siglas dos consórcios, certo? Afinal, é por meio do seu conhecimento que você evitará problemas e garantirá o máximo aproveitamento da sua carta de crédito. Mas ainda existem outras palavras importantes que você deve aprender.

Quais são os principais termos que você precisa conhecer?

As siglas referentes ao consórcio têm um conceito específico, que precisa ser assimilado por quem deseja optar por essa modalidade de compra. Elas ajudam a entender melhor o funcionamento do sistema e ter certeza de que esse modelo é o ideal para o que deseja.

Então, que tal conhecer os principais termos? Confira!

Lance

Esse nome se refere a uma das possibilidades de contemplação. Em todos os casos, o lance consiste no pagamento adiantado das parcelas. Ainda assim, é importante conhecer os três tipos existentes:

  • embutido: explicado anteriormente, consiste em disponibilizar parte do valor da carta de crédito para antecipar a contemplação. O percentual máximo a ser ofertado depende do contrato, mas geralmente é de até 30%. Ao ser escolhido, a porcentagem é automaticamente descontada;
  • livre: prevê a oferta de determinado valor. Quem oferecer o maior lance, é contemplado;
  • fixo: indica um montante predeterminado pela administradora. Quem deseja participar desse lance deve ofertar a mesma quantia. A escolha é feita por sorteio exclusivo entre os participantes.

Grupo

Esse termo indica a reunião de consorciados, isto é, pessoas que têm um interesse comum. Mas como funcionam os grupos de consórcio? O prazo de duração e o número de cotas são predefinidos na assinatura do contrato com cada participante. No entanto, os grupos sempre estão relacionados a um bem específico, como um imóvel ou um veículo.

Eles ainda podem estar em formação ou em andamento. Quando estão em formação, a primeira assembleia geral ordinária ainda não foi realizada. No segundo caso, já foram feitos alguns sorteios. Você pode ingressar em um grupo em andamento por meio das seguintes opções:

  • cota vaga: significa que ainda há possibilidade de ingresso de novos participantes, que fazem o pagamento das parcelas até o prazo de duração especificado sem prejuízo. A presença nos sorteios é garantida a partir do primeiro que ocorrer após a assinatura do contrato;
  • cota de reposição: é vendida pela administradora de um grupo em andamento, no qual um participante desistiu, foi cancelado por inadimplência ou excluído;
  • transferência de contrato: é aquela em que há mudança de titularidade, como no caso da modalidade contemplada.

O grupo é representado pela administradora de forma passiva ou ativa, em juízo ou fora dele. Ou seja, há a defesa dos interesses e dos direitos da coletividade com o propósito de cumprir o regulamento do consórcio. Por isso, o interesse de todos é maior que o do indivíduo.

Assembleia

As reuniões que ocorrem entre os consorciados é chamada de assembleia. Ela pode ser extraordinária ou ordinária. A primeira é aquela convocada quando algum tema relevante precisa ser decidido pelos participantes. Por isso, sua convocação deve ser feita com, pelo menos, oito dias de antecedência.

Já a assembleia de consórcio ordinária é aquela em que o sorteio e o lance são realizados. Além disso, há a prestação de contas pela administradora. Sua realização tem horário e data predeterminados pela administradora.

Nessas reuniões são confeccionadas as atas, que são o registro formal do evento. Nelas devem constar: contemplações, controle de presença, ciência dos atos praticados pela administradora, movimentação financeira do grupo e relato de manifestações em plenário.

Ainda existe a assembleia de constituição, que acontece para formalizar o início do grupo e definir suas características. Ela só ocorre quando há um número mínimo de adesões.

Fundo comum

Esse é o local para onde os recursos financeiros do grupo são destinados após o pagamento de cada parcela. É desse fundo comum que os consorciados contemplados podem utilizar a carta de crédito e adquirir o bem. Também serve para restituir aqueles que foram excluídos e para executar outros pagamentos previstos em contrato de participação.

Mais que os valores pagos pelos cotistas, o fundo comum também é composto por juros moratórios, multas e rendimentos derivados de algum investimento financeiro. Equivale a uma poupança, que é compartilhada por todos os participantes do consórcio.

Fundo de reserva

O fundo de reserva pode ser cobrado junto com a parcela. Sua finalidade é garantir recursos em caso de:

  • cobertura de possível insuficiência do fundo comum;
  • pagamento de seguro para cobrir inadimplência de consorciados contemplados;
  • quitação de despesas bancárias de responsabilidade exclusiva do grupo;
  • retribuição de gastos por adotar medidas judiciais ou extrajudiciais para receber crédito do grupo;
  • contemplação por sorteio, exceto se comprometer o fundo comum e os pagamentos já citados.

O fundo de reserva deve estar previsto em contrato para ser cobrado. Ele visa à segurança da saúde financeira do grupo. Quando incidente, corresponde a um percentual pago na parcela.

É importante citar que, além do fundo de reserva e do fundo comum, é cobrada a taxa de administração — e ainda pode haver o seguro, desde que previsto em contrato. Por isso, há isenção de juros, exceto em caso de inadimplência.

Sorteio

O método de contemplação da carta de crédito, por excelência, é o sorteio. Nesse caso, todos os participantes do grupo têm a mesma igualdade de condições, desde que estejam com o pagamento das parcelas em dia. 

O sorteio é realizado de acordo com as regras de cada administradora. Na maioria dos casos, o sorteio é realizado com números em um globo esférico que formam uma chave. Se ela corresponder à numeração da sua cota, você foi contemplado. Ou ainda a que mais se aproximar dessa pedra chave. 

Por que uma empresa especializada pode ajudar no processo?

As administradoras de consórcio são as únicas que podem dar continuidade ao processo e garantir sua segurança. Elas são autorizadas a funcionar pelo Banco Central (Bacen). A lista pode ser verificada diretamente no site da instituição.

A vantagem de contar com essas empresas especializadas é ter uma orientação personalizada, que indicará seus direitos e deveres. A consultoria é individualizada e sana qualquer dúvida que você tenha ao longo do processo.

Esses benefícios são conquistados quando você escolhe uma administradora confiável. Há várias empresas no mercado, e selecionar a melhor é fundamental para o seu sucesso. Acessar a lista do Bacen é uma boa dica, mas ainda é importante pesquisar sobre a empresa na internet e em sites de críticas, como o Reclame Aqui.

Analisar o site da Associação Brasileira de Administradoras de Consórcio (ABAC) também é altamente recomendado, porque indica que a empresa é confiável e está em dia com suas obrigações. A partir da sua escolha, você terá mais ou menos apoio durante todo o processo.

Além disso, a administradora é responsável por guardar o dinheiro recebido e garantir que todos os consorciados tenham as mesmas condições, direitos e deveres. Caso opte por uma empresa pouco especializada, poderá ter problemas ao receber a carta de crédito, no momento da contemplação ou nas baixas de pagamentos.

Então, como definir qual é a melhor administradora? É preciso avaliar os aspectos que listamos a seguir.

Transparência

A empesa deve detalhar suas operações e tirar as dúvidas dos interessados. Verifique se todos os detalhes estão no contrato, especialmente custos, forma de reajuste e processos de sorteio, lance e contemplação. Questione ainda como é feita a divulgação de quem recebeu direito à carta de crédito e se é possível conferir os resultados de reuniões anteriores, caso o grupo esteja em andamento.

Atendimento

Esse requisito é indispensável para dar mais tranquilidade aos consorciados! Para conferir o atendimento, vale a pena fazer perguntas em redes sociais, ligar para a Central de Atendimento e tirar todas as dúvidas com o consultor.

Credibilidade

Uma empresa que está há anos no mercado oferece uma garantia maior, porque passa pelas fiscalizações e permanece em funcionamento. Portanto, conferir o ranking das administradoras feito pelo Bacen é muito importante.

Seguindo essas dicas, a chance de você contratar uma empresa especializada ruim é muito menor. De toda forma, é fundamental conhecer o funcionamento e as siglas dos consórcios, porque elas oferecem uma visão mais ampla de todo o processo. É assim que você evita imprevistos e garante o melhor aproveitamento da sua cota.

Com toda essa explicação, ficou claro que vale a pena fazer um consórcio com uma administradora confiável, não é mesmo? Então, entre em contato conosco e saiba mais sobre nossos grupos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *