Sofreu um acidente de trânsito? Saiba o que precisa fazer!

Ninguém está livre do risco de se envolver em acidentes de trânsito, especialmente nas grandes cidades. Afinal, eles podem acontecer por diversas razões: descuido próprio, imprudência de outros motoristas ou até mesmo condições climáticas que dificultam a direção (como chuva forte ou neblina).

Estar preparado para esse tipo de ocorrência é fundamental para minimizar os possíveis prejuízos e resolver a situação com mais rapidez e segurança. Pensando nisso, separamos algumas dicas de como agir em caso de acidente de trânsito. Confira!

Avalie a situação

Antes de qualquer coisa, a primeira ação a ser tomada é verificar a gravidade do caso. Isso, é claro, se você estiver em condições físicas que possibilitem uma ação.

É preciso observar o exterior e o interior dos veículos para analisar os danos causados às pessoas e aos automóveis envolvidos. Na ausência de feridos, as partes podem conversar e chegar a um acordo.

Se for possível movimentar os carros, eles devem ser removidos da via para não atrapalhar a fluidez do trânsito. Caso contrário, o condutor estará cometendo infração de natureza média.

Já em caso de acidente de trânsito com vítima, o procedimento é mais delicado. Confira, a seguir, o que fazer nessas situações.

Sinalize o local do acidente

Caso os automóveis não possam ser removidos da via, é importante sinalizar que ali ocorreu um acidente de trânsito. De acordo com o Código Brasileiro de Trânsito (CTB), você deve posicionar o triângulo de segurança a pelo menos 30 metros de distância da traseira do carro.

No entanto, para garantir mais segurança, uma dica é usar a regra de 1 metro de distância para cada km/h de velocidade da via. Ou seja, se o limite de velocidade é 80 km/h, coloque o triângulo a 80 metros do veículo.

Também é recomendado ligar o pisca-alerta do carro para que os outros condutores saibam da necessidade de trafegar com mais cuidado naquela via. 

Chame os serviços de emergência

Se o acidente de trânsito deixou feridos, é obrigatório acionar os Bombeiros (193) ou o SAMU (192), fornecendo o máximo de informações para facilitar a ação dos profissionais.

Cabe ressaltar que fugir do local sem prestar socorro às vítimas é considerado crime, de acordo com o Código Penal, e infração gravíssima, segundo o CTB.

Mesmo que o automóvel pareça estar em boas condições, não realize tentativa de remoção, pois pode haver necessidade de perícia. Nesse caso, aguarde a chegada do socorro médico e não tente remover as vítimas por conta própria, visto que um atendimento inadequado é capaz de agravar os ferimentos.

Registre a ocorrência

É indicado recolher informações sobre os condutores e veículos. Anote a hora do acidente, peça o contato de eventuais testemunhas e fotografe o local, a posição e o estado dos veículos após a colisão.

Depois disso, encaminhe esses dados para uma delegacia especializada ou ao órgão responsável pelo trânsito na sua região, a fim de registrar um boletim de ocorrência.

O documento é responsável por formalizar o ocorrido e pode ser utilizado para dar andamento ao processo de indenização na justiça. Além disso, também é relevante para comprovar os acontecimentos na hora de acionar a seguradora.

No entanto, ainda vale ressaltar que esse procedimento deve ser realizado independentemente da existência de vítimas com lesões corporais.

Acione o seguro

Essa etapa é essencial para reparar os danos causados e reduzir os prejuízos. Se nenhum dos veículos envolvidos tem seguro, o responsável por arcar com os custos de reparo é o condutor considerado culpado pelo acidente. Normalmente, é aquele que violou alguma lei de trânsito (trafegou acima da velocidade permitida ou fez ultrapassagem indevida, por exemplo).

Caso o culpado tenha seguro, ele deve acionar a empresa, mesmo que os outros envolvidos também contem com o serviço. Assim, eles não precisam gastar com a franquia e não perdem o bônus anual de renovação da apólice.

Entretanto, se apenas o condutor que não foi culpado pelo acidente tiver seguro, ele deve acionar a seguradora e cobrar a franquia do condutor culpado.

E, ainda, se nenhum dos envolvidos assumir a responsabilidade ou se a culpa for de ambos, cada um deve arcar com seus próprios prejuízos.

Solicite a indenização do DPVAT

As vítimas de acidente de trânsito, sejam elas motoristas, passageiros, pedestres ou familiares, têm direito ao recebimento do seguro DPVAT (Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre).

O seguro oferece coberturas por invalidez permanente, morte ou reembolso de despesas médicas e hospitalares. A quantia é depositada na conta bancária da vítima em até 30 dias após a entrega dos documentos necessários.

Cada modalidade de cobertura exige uma documentação diferente. Para saber detalhes, basta acessar o site da Seguradora Líder, responsável pelo pagamento.

O serviço é gratuito, não faz apuração de culpa (isto é, até o condutor considerado culpado pelo acidente pode receber a indenização), e a vítima tem até 3 anos após o acidente para fazer a solicitação.

Previna acidentes

Como diz o ditado: é melhor prevenir do que remediar. É claro que, em alguns casos, o acidente de trânsito é inevitável. No entanto, adotar práticas de direção defensiva é uma boa maneira de reduzir os riscos. Veja algumas dicas! 

Faça manutenção preventiva

Verifique com frequência os pneus, os freios, as luzes e o nível de óleo e água do carro. Lembre-se também de seguir as recomendações do manual do veículo.

Respeite os limites de velocidade

O limite de velocidade de uma via não é definido à toa. Fique atento e respeite a sinalização. Vale ressaltar que quanto maior a velocidade, maior deverá ser a distância de segurança em relação ao carro da frente.

Não utilize o celular no trânsito

Mexer no celular enquanto dirige aumenta em até 400% a chance de acidente. Portanto, evite esse tipo de distração. Se uma mensagem ou ligação for muito importante, pare o carro para atendê-la.

Esteja em condições adequadas para dirigir

Sono, estresse e ingestão de remédios ou bebidas alcoólicas são alguns dos fatores que interferem diretamente em seu desempenho na direção, reduzindo a atenção e os reflexos. Portanto, para preservar sua segurança, busque outras alternativas, como pedir carona para um amigo ou pegar um táxi.

Por mais que ninguém queira se envolver em um acidente de trânsito, é necessário saber como lidar com esse tipo de situação. Assim, é possível evitar danos mais graves. 

Este post foi útil para você? Então siga nossos perfis nas redes sociais para acompanhar outras novidades. Estamos no Facebook, Twitter e Instagram!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *