Vale a pena entrar em um consórcio de carro usado?

Com o objetivo de comprar um automóvel pela primeira vez ou apenas trocar de veículo, muitos motoristas se questionam se vale a pena participar de um consórcio de carro usado. Nessa hora, vários fatores podem interferir na decisão final, como pesar os benefícios de se ter um bem com todos os componentes novos e as vantagens de economizar uma quantia considerável com um veículo seminovo ou usado.

Embora muita gente só associe o consórcio à aquisição de carros zero-quilômetro, na verdade, essa modalidade de autofinanciamento também pode ser utilizada para bens usados. Assim, várias pessoas podem se unir em um grupo, com o auxílio de uma administradora de consórcios, para comprarem os bens almejados.

Se você quer gastar menos para obter aquele automóvel que você tanto sonha, veja a seguir alguns motivos pelos quais é vantajoso comprar um carro usado por meio de consórcio. Confira!

Compra programada e estabilidade financeira

Quem não gostaria de possuir um veículo de luxo, mas no momento não dispõe de toda a quantia necessária para a compra, não é mesmo? Ainda assim, isso não significa que a pessoa não possa ter o prazer de dirigir o automóvel que tanto deseja.

Com o consórcio de carro usado, é possível programar a aquisição do veículo, sem pesar tanto no orçamento doméstico. Nesse caso, o parcelamento pode ser feito conforme as necessidades de prazo e de valor do futuro proprietário.

Geralmente, ainda existe a possibilidade de o comprador fazer lances e, assim, antecipar a posse do automóvel. Desse modo, o consórcio de carro usado permite certa flexibilidade para o cliente, que pode utilizar as possibilidades de compra dessa modalidade de acordo com a própria conveniência, sem prejudicar a sua estabilidade financeira.

Redução de burocracia e segurança para o comprador

Quem já precisou adquirir um bem novo, por meio de financiamento, sabe que a liberação do recurso total para a negociação não é uma tarefa fácil. Entrega de documentos, análise de crédito, idas e vindas ao banco etc. podem tornar dificultosa a obtenção da quantia necessária para a compra do veículo.

Já no consórcio há uma considerável redução da burocracia, pois se trata de uma forma de autofinanciamento, quer dizer, não será uma instituição financeira que ofertará o crédito para a aquisição do bem, mas sim os próprios integrantes do grupo.

Diante dessa situação, alguém poderia questionar: “com tantas pessoas num consórcio, como equilibrar os interesses e fazer cumprir as regras do jogo”? Na verdade, a segurança dessa modalidade de compra é possibilitada por meio da atuação da administradora.

Cabe a essa empresa definir as normas do contrato, as condições de contemplação e lance, as realizações de assembleias, entre outras funções, para garantir a saúde financeira do grupo e a entrega dos bens no tempo certo. Vale lembrar que, para poder organizar grupos de consórcio, uma empresa deve ter a devida autorização do Banco Central do Brasil.

Economia na aquisição com consórcio de carro usado

Comprar um veículo zero-quilômetro permite que o dono sinta aquele cheiro de automóvel novo nos primeiros dias de uso e até chama a atenção das pessoas na rua. Entretanto, se o foco do comprador é aproveitar a performance do veículo e a comodidade para usá-lo, pode ser muito vantajoso fazer parte de um consórcio de carro usado.

A razão para essa preferência é até bastante simples. Quem nunca ouviu falar na depreciação dos automóveis novos, não é mesmo? Em alguns casos, ela pode chegar até 30% do valor original do carro já no primeiro ano de uso.

Além disso, se a opção do comprador fosse pela aquisição de um carro zero-quilômetro, por meio de financiamento, a quantia total gasta ao final do contrato poderia chegar ao dobro, ou até mais, do preço que seria pago à vista. Nesse caso, o proprietário teria que pagar um valor que provavelmente não compensaria o usufruto do automóvel, ainda mais se a expectativa do comprador fosse trocar de veículo em curto ou médio prazo.

Relação de custo/benefício no uso

Quando se considera a quantia total paga com o consórcio de carro usado em comparação com a compra de um veículo novo, percebe-se o quanto se economiza com a opção por um veículo de segunda mão.

Afinal, ao dirigir um automóvel usado, você pagará principalmente pelo desgaste natural das peças e não tanto pela depreciação — que é bem mais reduzida nesse caso do que a existente num veículo zero.

Em termos práticos, quem escolhe um carro usado vai gastar com o que realmente utiliza do veículo. Se essa compra for feita por meio de consórcio, então, a economia será ainda maior, já que não haverá os juros embutidos de um financiamento. Com essa lógica, mesmo quem gosta de trocar de automóvel de tempos em tempos pode usufruir de carros usados, sem precisar comprometer a situação financeira.

Diminuição de gastos com obrigações legais e com seguro

Não é novidade que alguns tributos, como o Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), custam mais para veículos novos do que para os usados. Nesse tipo de cobrança, para o veículo zero-quilômetro a incidência do IPVA é sobre o valor de venda, enquanto para o carro usado é geralmente sobre o valor da tabela FIPE. Em Minas Gerais, por exemplo, a alíquota é de 4% para automóveis de passeio e 1% para caminhões.

Para você ter uma ideia dessa diferença, ainda em Minas Gerais, o IPVA 2017 de um Mercedes Benz C200, ano 2016, custa R$ 6.106,38. Já se o ano de fabricação for 2015, o imposto sai por R$ 5.033,58, logo, há uma redução de cerca de 17,6% em relação ao IPVA do modelo um ano mais novo.

No caso dos seguros, via de regra, como eles também se baseiam nos valores da tabela FIPE, quem possui veículo usado geralmente paga menos do que quem tem automóvel zero-quilômetro.

Como você pôde perceber, para quem não está com pressa e quer aproveitar a chance de ter um veículo de renome por um preço convidativo, o consórcio de carro usado se torna uma excelente forma de concretizar essa vontade.

Quer receber mais dicas como essas? Então, siga o Consórcio Minasmáquinas no Facebook e no Twitter para não perder as próximas novidades.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *