Veja como se aposentar mais cedo e viver de renda

Viver de renda é o objetivo de muitas pessoas, porém, poucas são aquelas que conseguem colocar esse desejo em prática. Saber que, independentemente de um emprego, todo mês uma quantia vai estar disponível para se gastar, sem dúvida, é uma fonte de tranquilidade, não é mesmo?

Em tempos de notícias assustadoras sobre Previdência Social, conseguir acumular patrimônio ao longo da vida e, após a aposentadoria, poder usufruir dos recursos poupados é uma situação que proporciona a sonhada independência financeira. Contudo, chegar a esse status requer planejamento e disciplina.

Confira, a seguir, algumas dicas para você se aposentar mais cedo e viver de renda!

Planeje a sua vida financeira

Ter uma fonte contínua de recursos sem necessariamente precisar trabalhar não é algo tão simples assim. Em primeiro lugar, a pessoa deve se preocupar com o acúmulo de patrimônio. Para tanto, é preciso economizar recursos, para sempre haver uma sobra mensal.

Se isso ainda não é possível na sua vida, você tem que reformular o seu orçamento, de modo a quitar eventuais dívidas e abrir uma brecha nos gastos para chegar a um excedente por mês. Nessa tarefa, avalie o que realmente é essencial e o que pode ser adiado. Lembre-se que sacrifícios temporários podem ser compensados por benefícios duradouros.

Quem nutre essa visão consegue manter o foco na busca por condições melhores de vida, afinal, a poupança de hoje funciona como uma semente para se colher ótimos frutos mais tarde.

Acumule patrimônio para viver de renda

Já ouviu o ditado “dinheiro chama dinheiro”? Sim, ele pode ser considerado uma verdade. Se a pessoa consegue juntar uma quantia razoável, é possível receber juros sobre esse capital e, assim, viver de renda.

“E quanto devo acumular para ter uma vida tranquila?”, talvez você se pergunte. Saiba que essa dúvida não tem uma resposta pronta. Na verdade, você deve identificar qual é a renda suficiente para você ter um nível de vida satisfatório após a aposentadoria.

Depois de definir o valor, é hora de avaliar as taxas de juros ofertadas no mercado financeiro e, com isso, descobrir quanto precisará acumular para poder viver de renda. Por exemplo, uma pessoa que acumulou R$ 2 milhões poderia receber R$ 20 mil por mês, caso obtivesse uma taxa de retorno mensal de 1%.

Embora isso já tenha sido possível na economia brasileira, não é uma regra constante. Em alguns cenários, como de baixa da taxa Selic, conseguir 0,7% já passa a ser uma tarefa difícil. Portanto, é preciso acompanhar o contexto econômico para escolher a forma certa de fazer o dinheiro render.

A propósito, quem acumula recursos para viver de renda deve sempre levar em conta a inflação do período para preservar o poder de compra. No exemplo dado anteriormente, se a pessoa consegue 1% de retorno por mês, mas a inflação mensal é de 0,8%, a rentabilidade real será de apenas 0,2%.

Estude as possibilidades de investimento

Tenha em mente que não basta apenas acumular patrimônio, já que é necessário fazer o capital crescer para se ter condições de viver de renda. Para tanto, você precisa estudar as opções de investimento existentes no mercado financeiro.

Na hora de escolher, busque aliar a aplicação ao seu perfil de tolerância a risco. Nesse sentido, nem sempre será vantajoso alocar recursos na renda variável, pois nessa modalidade as cotações dos ativos tanto podem subir quanto cair.

Se a pessoa quer acumular patrimônio para ter uma vida tranquila no futuro, expor-se a riscos demasiados sem conhecer o funcionamento da aplicação pode custar caro mais tarde. Por isso, é indispensável estudar o mercado de investimentos para saber o quanto se pode ganhar e o quanto se pode perder com cada tipo de ativo.

No exemplo anterior, se o indivíduo é jovem, há tempo para recuperar eventuais prejuízos, porém, se ele já está mais perto da idade de aposentar, tal risco não compensa. Para você ter uma ideia, na renda variável, por vezes é preciso esperar uma década até conseguir recuperar uma perda, conforme o preço de aquisição do ativo.

Diversifique as aplicações

Colocar todos os ovos numa só cesta é um grande perigo, já aconselhava a vovó em uma conhecida narrativa infantil. Tal moral da história, entretanto, é perfeitamente aplicável às escolhas de investimentos.

Quem coloca todo o capital em apenas um tipo de aplicação corre o risco de perder dinheiro, caso determinadas condições venham a acontecer, como a falência de um banco ou uma queda brusca no mercado de ações.

Por esse motivo, diversificar os investimentos tem grande importância para quem quer viver de renda. A propósito, é recomendado manter os chamados ativos reais, como os imóveis. Afinal, se ocorre uma crise econômica, a pessoa mantém o bem físico. Além disso, é possível viver de renda com o recebimento de aluguéis.

E como comprar imóveis por um preço justo, sem pesar no orçamento? Uma maneira eficiente de fazer isso é por meio dos consórcios, em que a pessoa não paga juros e não precisa desembolsar o valor de entrada, já que o pagamento é feito em parcelas.

Para quem ainda não sabe, o consórcio funciona como uma espécie de poupança forçada. Com isso, a pessoa não só cria a disciplina de juntar dinheiro como investe na formação de um futuro melhor.

Não esgote as fontes de recursos

Após acumular um patrimônio razoável e, assim, começar a viver de renda, é importante proteger a “galinha dos ovos de ouro”. E o que isso quer dizer? Na verdade, trata-se de não torrar o capital com gastos supérfluos. Lembre-se que você viverá dos juros ou dos aluguéis, mas sem se desfazer do patrimônio acumulado ao longo de anos.

Em linguagem simples, a pessoa precisa se satisfazer com os frutos, mas jamais derrubar a árvore. Dessa maneira, ela passa a ter condições de receber recursos contínuos durante toda a aposentadoria. Com isso, fica mais fácil ter uma vida tranquila nessa fase importante, sem depender da previdência do governo.

Gostou das dicas para começar a viver de renda? Que tal receber mais conteúdos para melhorar a sua vida financeira? Assine nossa newsletter e não perca as próximas novidades!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *