Você sabe qual a diferenças entre DPVAT, IPVA e licenciamento?

Nem tudo são flores quando você realiza o sonho de comprar um carro. É preciso também ficar de olho nas novas obrigações que vêm junto com ele. É essencial, por exemplo, cumprir a legislação do trânsito e evitar penalidades e multas.

Da mesma forma, você precisa arcar com os custos referentes a impostos como DPVAT, IPVA e licenciamento. Alguns motoristas têm aversão a esses termos, mas cada uma das contas existe por uma razão. Por isso, todos os proprietários de veículos devem se manter regularizados para contribuir para um trânsito seguro.

Quer saber mais sobre esses impostos? Neste artigo, mostraremos informações sobre o que significa cada um, para que servem as taxas e como realizar os pagamentos. Vamos lá?

Como funciona o DPVAT?

Essa sigla se refere ao seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres. Na prática, é um seguro obrigatório que oferece garantia de suporte a todas as vítimas de acidentes envolvendo carros, ônibus, caminhões e outros veículos que circulam nas vias brasileiras.

A taxa é administrada pela Seguradora Líder, empresa indicada pelo Governo Federal. Todos os proprietários de veículos terrestres devem realizar o pagamento no início do ano — até o final do mês de janeiro. O valor depende do tipo de veículo.

É possível pagar o imposto junto com o IPVA ou gerar o boleto diretamente no site do DPVAT. Do total de pagamentos, uma porcentagem de 45% é direcionada ao Ministério da Saúde e mais 5% vão para o Departamento Nacional de Trânsito, para serem investidos em campanhas de saúde e conscientização contra acidentes.

O restante fica com a seguradora, que administra o dinheiro. O objetivo do valor que fica sob responsabilidade da Seguradora Líder é pagar indenizações para vítimas de acidentes envolvendo veículos automotores.

Qualquer um que enfrenta esse problema — motoristas, motociclistas, passageiros ou pedestres — contam com o suporte do DPVAT para recuperar sua saúde.

O seguro é voltado para cobrir despesas com tratamentos médicos. Em casos mais graves, ele pode indenizar as vítimas por invalidez (parcial ou total) e até mesmo por morte (nesse caso, os familiares recebem o valor).

Atenção: o DPVAT não substitui o seguro particular que muitos motoristas contratam. Esse outro tipo cobre o veículo contra prejuízos materiais, enquanto o seguro obrigatório é apenas para danos físicos.

Vale a pena considerar a contratação de uma apólice, pois você terá apoio em situações de roubo ou furto, acidentes e problemas mecânicos.

Para que serve o IPVA?

Esse é o Imposto sobre Propriedade de Veículo Automotor. Seu pagamento é anual e na maioria dos Estados se dá no início do ano, mesma época do seguro DPVAT.

O IPVA é cobrado pela Secretaria da Fazenda (SEFAZ) de cada Estado. Muitas pessoas acreditam que o dinheiro deve ser usado apenas na melhoria de rodovias, mas isso não é verdade.

Ele é um dos impostos básicos para custeio de Estados e municípios. Por isso, o valor que você paga anualmente é utilizado nos mais diversos gastos governamentais, como em investimentos em educação, saúde e assistência social. A pavimentação também pode estar incluída nessa lista, mas o IPVA não é exclusivamente para isso.

O total arrecadado com o imposto sobre propriedade de veículos é dividido entre o governo do Estado e a prefeitura da cidade onde o carro é licenciado. Além disso, uma parte desse valor vai para o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (FUNDEB).

Viu como o IPVA é importante para o nosso país? Estar regularizado com essa taxa é essencial não só para dirigir com tranquilidade, mas também para saber que está contribuindo para os serviços básicos da sua região.

As condições de pagamento dependem de cada Estado. Geralmente, ele pode ser feito parcelado em até 5 vezes ou em boleto único, com desconto.

Quem opta pelo parcelamento precisa ficar muito atento às datas das mensalidades. Se você perder o vencimento de uma delas, são cobrados juros e multas. Para pagar na nova data, é preciso gerar um boleto atualizado no site da SEFAZ.

O que é o licenciamento?

Vamos falar agora de um imposto que não é cobrado no início do ano. O licenciamento tem datas diferentes de pagamento, a depender da placa de cada veículo. Sendo assim, o proprietário deve acompanhar o calendário de cobrança — que começa a partir de abril.

O licenciamento é uma autorização para que você trafegue nas ruas do país. Por isso, todos os motoristas são obrigados a portar o Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) quando estão dirigindo.

Como o imposto é pago todo ano, um novo documento é emitido. Logo, você deve estar sempre atualizado, portando o papel referente ao ano vigente.

Rodar em um carro com licenciamento atrasado é motivo de multa, perda de pontos na carteira e até apreensão do veículo. A infração é do tipo gravíssima.

Ao pararem você em uma blitz de trânsito, os agentes vão verificar o documento do carro e checar se as taxas estão em dia, de acordo com o último número da placa.

Para conhecer o calendário de pagamentos e acompanhar em que mês você precisa retirar o boleto, basta entrar no site do Detran do seu Estado. Diferentemente do IPVA, o licenciamento é um imposto totalmente voltado para infraestrutura viária e campanhas de trânsito educativas.

Se existirem multas não pagas no seu nome ou o IPVA estiver atrasado, os valores vão ser incluídos no boleto junto com o licenciamento. Isso costuma pegar alguns motoristas desprevenidos, por isso, prepare-se desde já.

Uma dica é juntar um pouco de dinheiro todos os meses para conseguir pagar os impostos anuais com mais tranquilidade.

Agora você conhece todos os detalhas do DPVAT, IPVA e licenciamento. Esses são custos básicos que precisam compor o orçamento familiar de todos que têm carro em seu nome. Estar regularizado é fundamental para exercer a cidadania e não sofrer consequências negativas por descumprir a legislação de trânsito.

E então, este artigo foi útil para esclarecer o assunto? Aproveite para continuar no blog e ler sobre qual é o momento ideal para trocar de carro!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *